RELIGIÃO

Diocese de Mogi das Cruzes ordenará dois novos padres

RELIGIÃO Os dois futuros padres da Diocese de Mogi, Dênis de Jesus das Neves e Jonas Cunha da Silva. (Fotos: divulgação)
COMUM Dênis das Neves e Jonas Silva são de Suzano, têm 26 anos e realizaram várias ações pastorais. (Fotos divulgação)

A Diocese de Mogi das Cruzes passará a contar com dois novos padres, a partir da manhã do deste sábado (13). Numa solenidade marcada para às 9 horas, na Catedral de Santana, o bispo diocesano, dom Pedro Luiz Stringhini irá celebrar a ordenação sacerdotal dos diáconos Dênis de Jesus das Neves e Jonas Cunha da Silva, pela imposição das mãos e prece consecratória, como a Igreja denomina tais ritos.

Devido a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e as determinações das autoridades sanitárias para se evitar aglomerações de pessoas, a celebração será privada, com transmissão ao vivo pelo site Igreja na Mídia (youtube.com/igrejanamidia) e pelo canal da Catedral no Facebook (facebook.com/catedraldesantannamogi/).

Com os dois novos padres, chega a 54 o número de sacerdotes ordenados pelo atual bispo, dom Pedro Stringhini, durante os oito anos em que ele se encontra à frente da Diocese de Mogi, um verdadeiro recorde em relação a seus antecessores.

A ordenação sacerdotal, também chamada de presbiteral, numa forma mais rebuscada dos dias atuais, tem o mesmo significado, que é a elevação dos diáconos à condição de sacerdotes, padres ou presbíteros.

Segundo o bispo, a palavra sacerdote está mais ligada ao sagrado. “O sacerdote é o mediador entre o povo e o sagrado (Deus)”. Já, presbítero é uma palavra de origem grega, que significa ancião. “No Novo Testamento, as cartas de Paulo diziam que os apóstolos escolhiam um ou vários presbíteros, ou seja, anciãos ou aqueles que estavam à frente ou na cabeça de um governo”, explica o bispo dom Stringhini.

Quem são

Os dois futuros padres da Diocese de Mogi, Dênis de Jesus das Neves e Jonas Cunha da Silva são nascidos em Suzano e têm a mesma idade: 26 anos.

Dênis foi enviado ao Seminário Diocesano pela Paróquia São Francisco de Assis, de Suzano. Realizou seu trabalho pastoral nas paróquias Santa Rita de Cássia, em Suzano (2013-2014), Pastoral Vocacional (2015-2016), na Catedral Santana de Mogi (2017) e na Matriz de São José, em Salesópolis (2018-2019). Atualmente, realiza o ministério diaconal na Paróquia São José, em Salesópolis. Seu lema presbiteral é: “Para morrer com Ele” (Jo 11,16).

Já Jonas Cunha da Silva foi enviado ao Seminário Diocesano pela Comunidade São Francisco de Assis, de Itaquá, à época pertencente à Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda, atual Paróquia Santos Apóstolos. Realizou trabalhos pastorais nas paróquias São José Operário, no Mogilar, em Mogi (2012), São Benedito, em Mogi (2013), Nossa Senhora dos Remédios, em Salesópolis (2014-2015), Nossa Senhora Aparecida, em Itaquá (2016), São José Operário, em Jundiapeba, em Mogi (2018-2019), e no Seminário Propedêutico Episcopal e no Santuário Senhor Bom Jesus, em Mogi. Escolheu como lema presbiteral: “Com os olhos fixos em Jesus” (Hb 12,1)


Deixe seu comentário