ALTO TIETÊ

EDP investe R$80 milhões para regularizar ligações clandestinas

Fios emaranhados expõem as ligações clandestinas feitas na rua Professora Joaquina de Oliveira Ruiz em Mogi das Cruzes. (Foto: arquivo)
Fios emaranhados expõem as ligações clandestinas feitas na rua Professora Joaquina de Oliveira Ruiz em Mogi das Cruzes. (Foto: arquivo)

Cerca de R$ 80 milhões serão investidos pela EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, para regularizar 100% dos núcleos mapeados com ligações clandestinas na área de concessão, levando assim, rede segura, eficiente e de qualidade a cerca de 50 mil famílias de comunidades de baixa renda. As obras tiveram início em abril e serão realizadas em 24 meses.

Guarulhos, Itaquaquecetuba, São José dos Campos, São Sebastião e Caraguatatuba são os municípios com maior quantidade de irregularidades já mapeadas, mas todas as cidades da área de concessão serão contempladas com o programa de regularização. As obras incluem, dependendo da característica do local, a instalação de poste padrão para as residências ainda não conectadas ao sistema da EDP, rede de distribuição em média tensão, posteamento, entre outras medidas técnicas para a execução completa dos serviços.

Para reforçar a importância da utilização segura e eficiente da energia elétrica, após a conclusão dos serviços de rede em cada localidade, os moradores receberão visitas personalizadas dos ‘agentes da boa energia’. Os técnicos comparecem às residências para orientações sobre uso consciente da eletricidade e tarifa social de energia elétrica, negociação de possíveis débitos em aberto com a concessionária e substituição de lâmpadas de maior consumo por LED, que são mais econômicas, eficientes e sustentáveis.

Luciano Cavalcante, gestor executivo da EDP, ressalta que o fornecimento de energia regular é um passo importante para o desenvolvimento e progresso regional e que a atuação da distribuidora depende de parceria com as prefeituras, já que as concessionárias de energia só podem atuar em localidades regularizadas pelo poder público municipal.

Este projeto é ambicioso e visa regularizar em 24 meses todos os dos núcleos mapeados pela empresa. Queremos levar nossa energia com qualidade e segurança a toda a população”, destacou.