INDÚSTRIA

Em 60 anos, Valtra fabrica 500 mil tratores

BRAZ CUBAS Diretoria e colaboradores participaram ontem de evento comemorativo na sede da Valtra. (Foto: Elton Ishikawa)

Dois mil e vinte está sendo um ano importante para a Valtra. Além de completar seis décadas no Brasil, desde então instalada em Mogi das Cruzes, a montadora chega à marca de 500 mil tratores fabricados na planta. Para comemorar, foi promovido ontem um evento para colaboradores na sede mogiana da fábrica, com apresentação de uma edição especial do trator BH HiTech.

APOSTA Alexandre Assis diz
que expectativas são positivas. (Foto: Elton Ishikawa)

No total, serão produzidos apenas 60 exemplares da máquina de aniversário. “Essa data significa muito para a empresa, porque ela foi a primeira fábrica de motores a se instalar no Brasil e agora é muito mais do que isso. Hoje, temos uma solução completa para o agricultor, com um portfólio completo que nos possibilita fechar todo o ciclo para atender nosso cliente. Então, as perspectivas são as melhores possíveis”, celebrou o diretor de vendas da Valtra, Alexandre de Assis.

Ainda este ano, a planta de Mogi deverá passar a fabricar as colheitadeiras de cana. Ainda sem saber ao certo quantos empregos a implantação poderá gerar, o diretor se limitou a dizer que esse passo é fundamental para trazer mais tecnologia à cidade. Para isso, as instalações, que são de 1960, vêm sendo preparadas e modernizadas.

Mesmo estando em um prédio já antigo, os equipamentos da montadora são cada vez mais modernos, com a indústria 4.0 presente em todas as áreas de engenharia. Os motores, por exemplo, contam com uma linha de montagem intensa, tendo uma peça produzida a cada oito minutos. As transmissões também têm números interessantes: são 60 fabricadas por dia.

“O cenário agrícola é muito positivo para 2020 e o reflexo da questão dos empregos é muito vinculado ao mercado como um todo. Então, a gente tem uma perspectiva de que em 2020 o mercado seja maior comparado a 2019, consequentemente isso traz empregos para as nossas fábricas. As principais commodities estão batendo recorde de produção, o que gera renda para o agricultor, que consequentemente faz investimentos, compra os nossos produtos e movimenta a nossa planta”, afirmou Assis.

Nos próximos dias, a Mahindra, grande fabricante mundial de tratores, poderá anunciar a implantação de uma nova fábrica em Mogi. A marca, entretanto, não é uma concorrente direta da Valtra, já que a indiana atende em maior quantidade as necessidades dos pequenos agricultores, a chamada “agricultura familiar”.

Assim, o diretor de operações da AGCO de Mogi, Ricardo Huhtala, vê essa novidade mais como um ganho para o município. “Nós não vamos preparar uma estratégia para uma possível concorrência, porque ela vem para cá como qualquer outra empresa agrícola poderia vir. Eles participam de um segmento diferente do nosso, com produtos menores. Então, não há uma concorrência direta”, reiterou.

Embora a epidemia de coronavírus na China venha impactando parte da indústria brasileira, Huhtala não acredita que isso deverá interferir no progresso da Valtra. Muito disso porque os produtos que vão para o país oriental são vendidos pela Valtra da Finlândia.


Deixe seu comentário