EDITORIAL

Em busca do “sim”

Negativa da Polícia Federal de São Paulo faz lembrar outras lutas regionais

A primeira negativa da Superintendência da Polícia Federal de São Paulo ao pedido de instalação de um posto para emissão de passaportes na região do Alto Tietê nos faz lembrar velhos e conhecidos caminhos percorridos com o objetivo de sensibilizar responsáveis por órgãos públicos sobre obras e recursos administrativos de interesse de Mogi das Cruzes e do polo regional formado por 10 cidades. No Alto Tietê, residem cerca de 1,6 milhão de habitantes.

Em resposta ao pedido de informações feito pelo deputado federal Marco Bertaiolli, sobre a implantação de um Posto de Emissão de Passaportes (PEPs) em Mogi, a chefia da Polícia Federal paulista demonstrou boa vontade, mas disse não à reivindicação. Alegou falta de demanda, sem, no entanto, apresentar números de pessoas que poderiam ser beneficiadas com o serviço público.

É momento de se reunir novos esforços e representantes políticos e sociais para defender o interesse regional e bater a porta de instâncias superiores e demonstrar a força política e econômica do Alto Tietê.

A descentralização de setores administrativos federais é caminho natural para o aperfeiçoamento da gestão pública. E o modelo adotado para facilitar a emissão dos passaportes favorece o encontro de parceiros para o projeto. As novas unidades estão sendo abertas em shoppings, após licitações públicas, algo parecido com o processo de instalação do Poupatempo. Para o governo, esses locais são bem localizados e com estruturas prontas (segurança, estacionamento etc.). Já para os centros de compra, um Posto de Emissão de Passaportes valoriza o portfolio de serviços destinados ao público-alvo, o consumidor.

Para o morador de Mogi e do Alto Tietê, e até de localidades vizinhas do próprio Vale do Paraíba e do Litoral, mais um Posto de Emissão de Passaportes melhoraria o agendamento dos atendimentos e reduziria custos com viagens e as horas de trabalho perdidas para dar a entrada na papeladas e, depois, retirar o documento.

De acordo com a Superintendência Regional da Polícia Federal, um estudo foi feito para apontar a localização dos postos abertos mais recentemente em Guarulhos e Santo André. Não foram, no entanto, apresentadas as bases do estudo. Quantas pessoas precisam sair hoje de Mogi para retirar o documento em outra cidade?

Por último, um outro argumento a ser defendido pelo deputado federal Marco Bertaiolli é o potencial econômico da população regional, caracterizada por possuir diferenciados índices financeiros em relação à maioria absoluta das cidades brasileiras (renda per capita, população economicamente ativa e outros). Essas condições elevam a parcela de moradores que viaja mais para o exterior por questões profissionais, acadêmicas e familiares, além do turismo e do lazer, e será melhor tratada pelo governo federal.

O Diário

O Diário

Deixe seu comentário