INFORMAÇÃO

Em discussão, as obras nas Igrejas do Carmo

Reunião de amanhã vai buscar caminhos para recuperação do patrimônio

As obras de emergência necessárias para a manutenção e conservação das centenárias Igrejas das Ordens 1ª e 3ª do Carmo, em Mogi das Cruzes, serão discutidas, amanhã, numa reunião, a partir das 11 horas, no Carmo. Um dos assuntos principais do encontro será a busca de novos caminhos para que os serviços, avaliados inicialmente em R$ 800 mil, possam ser contratados com a participação de empresas da cidade e região, que poderão se valer de benefícios fiscais advindos do Programa de Apoio à Cultura (ProAC), da Secretaria de Estado da Cultura. Verdadeiros tesouros arquitetônicos do Século XVII, as igrejas vivem uma situação pouco comum: para que as obras possam ser iniciadas, é necessário se obter um patrocínio equivalente a 30% de seu valor total. Acontece que, até agora, os responsáveis pelas igrejas e pelo trabalho de captação de recursos, alcançaram somente 23% do necessário, graças à participação da empresa JSL (antiga Julio Simões Logística), única, até agora, a aderir ao projeto, destinando-lhe R$ 186 mil. Depois disso, nenhuma outra empresa se prontificou a participar da recuperação. E é justamente isso que será debatido durante o encontro de hoje, que deverá contar com as participações de Sérgio Miranda, arquiteto responsável pelas obras; Julio Moraes, um dos mais respeitados restauradores de construções do País, responsável pelos trabalhos; além de Marco Antonio Siqueira, coordenador de Patrimônio e Acervo do Carmo, e o chefe de gabinete do prefeito municipal, Romildo de Pinho Campello, que incluiu as obras no ProAC quando foi secretário de Estado da Cultura, entre outros. A ideia será buscar caminhos para lançar uma nova ofensiva em busca de colaboração de empresas, já que se a captação de recursos não avançar, há o risco de perda do dinheiro destinado pela JSL. Segundo a legislação estadual, as empresas podem destinar de 0,1% a 3% do ICMS a projetos culturais. Em lugar de o imposto ir para o governo estadual, ele poderá sr direcionado para o Carmo e suas obras. O empresário precisa apenas especificar a destinação do ICMS para a reforma emergencial das igrejas.

Disputa

A Comissão Especial de Seleção do Consórcio Regional do Serviço Móvel de Urgência (Cresamu) divulgou comunicado informando que não foram acolhidos os recursos das organizações sociais Pró-Saúde e Fundação do ABC, que continuam inabilitadas a participar do chamamento para administrar os serviços do Samu em Mogi. Com isso, amanhã, às 9h30, deverão ser abertos os envelopes para escolha da organização vencedora.

Pesquisa

O PT de Mogi das Cruzes prepara uma pesquisa para avaliar as reais chances do virtual candidato do partido a prefeito, Rodrigo Valverde. O vereador, que conseguiu unificar as várias tendências do PT em torno de sua candidatura, está otimista com o avanço de seu nome “junto às redes sociais e às ruas”. O resultado da consulta popular poderá ser decisivo para o partido solucionar duas questões ainda pendentes: a rejeição pós escândalos, que Valverde garante estar diminuindo, e a falta de estrutura financeira, ainda sem solução aparente.

Patrocínio

O vereador Cuco Pereira (PSDB) é o autor de requerimento consignando votos de aplausos e congratulações à Helbor Empreendimentos que, por sete anos, foi a patrocinadora master da equipe de basquete de Mogi. “A parceria fez história e merece ser eternamente lembrada”, diz o vereador, destacando que sempre que possível, o casal Henrique e Penha Borenstein fazia questão de acompanhar os jogos, “torcendo e vibrando” com o time no Ginásio Hugo Ramos. “Aliás, dona Penha foi eleita pelos atletas como a ‘sua rainha’”.

Ausente

O portal Congresso Em Foco, especializado na cobertura do Congresso Nacional, incluiu o deputado federal Guilherme Mussi (PP-SP), muito bem votado no Alto Tietê, entre os mais faltosos da Câmara. Em seu terceiro mandato, o parlamentar de 34 anos, eleito com 134.301 votos, deixou de comparecer à Casa 39 vezes nos 94 dias em que deveria ter registrado presença, segundo o portal. Um índice de ausência superior a 33%. Mussi, sujeito à perda de mandato, é mais conhecido por ter sido casado com Rebeca Abravanel, filha de Silvio Santos, e com Mariana Tranchesi, filha de Eliana Tranchesi, dona da Daslu, do que por sua atuação legislativa.

Frase

Me arrancam tudo à força e depois ainda me chamam de contribuinte.

Millôr Fernandes (1923-2012), jornalista, escritor, desenhista, autor teatral e humorista brasileiro