MÚSICA

Em novo single, banda mogiana Bravaguarda diz ‘Chega’

CRIATIVO Disponível no YouTube, o clipe oficial da canção ‘Chega’ entretém com a simulação de uma tela de computador dos anos 90 enquanto faz críticas sociais. (Foto: divulgação)
CRIATIVO Disponível no YouTube, o clipe oficial da canção ‘Chega’ entretém com a simulação de uma tela de computador dos anos 90 enquanto faz críticas sociais. (Foto: divulgação)

Em um novo single que mistura rock e folk com pop e influências sessentistas, a banda Bravaguarda traz uma mensagem importante: é preciso se libertar de tudo o que “nos tira da rota dos sonhos”. É sobre isso a letra da faixa ‘Chega’, que ao mesmo em que faz críticas sociais e apresenta um refrão que fica na cabeça, diverte com um clipe criativo gravado à distância, respeitando o isolamento social.

Parte das gravações foi feita em Mogi das Cruzes, já que o baterista do grupo, Pablo Melo, mora na cidade. Já os demais integrantes (Danilo e Guilherme Barreto e Milo Andreo) vivem na capital. O quarteto não se encontra desde que a quarentena se tornou uma recomendação oficial, mas isso não impede de serem vistos juntos no vídeo oficial da faixa.

Repletas de referências aos computadores da década de 1990, as imagens mostram que não param de chegar e-mails na caixa de entrada, o que faz com que “programas” como ‘Viagem de Férias’, ‘Projetos Pessoais’, ‘Cursos dos Sonhos’ e ‘Abrir Meu Negócio’ nunca sejam concluídos. Ou “carregados”.

A mensagem fica ainda mais clara com a letra, que funciona como um desabafo: “Tenho mil coisas pra fazer / E o que eu quero fica para trás, sempre deixo de lado / Perco o foco sem saber / O dia, o carro, a casa, sem tempo pra viver pra mim […]”. Na sequência, o refrão serve como uma “explosão”: “Chega de carregar / O peso que me joga pra fora da rota / Que tira o meu final feliz da história”.

“A gente precisa se libertar de coisas que não gostamos, de padrões, de seguir rotinas que as vezes não queremos mais seguir, esse tipo de coisa. Entramos num esquema de dizer que as pessoas tem que tentar encontrar o que as faz felizes, e nesse processo temos que abdicar de algumas coisas”, explica Pablo, sobre os versos escritos por Danilo, o Dan.

Foi Dan também quem fez a melodia, que mistura conceitos já enraizados na banda com o pop, para ficar “para cima”, afinal o mote é a libertação. O mesmo tom alegre pode ser conferido no clipe, que configurou um desafio para o quarteto, acostumado a gravar em estúdio, com todos presentes.

Segundo Guilherme, irmão de Dan e também vocalista, foi um “processo bem interessante”. “Já tínhamos feito este tipo de gravação com Chroma Key (fundo verde)”, diz ele, mas sempre com o grupo todo junto. “Dessa vez a gente estava distante, e por mais que tenhamos um grupo no WhatsApp, foi diferente para saber como tinha ficado o resultado”.

Quem já usou as versões 95 e 98 do Windows certamente vai se identificar com o clipe, que ainda tem algumas referências a videogames e outros produtos da cultura pop “noventista”. “Usamos uma textura para simular uma tela de computador antiga e também usamos notificações de e-mail para mostrar que quanto mais trabalho, menos se consegue fazer a própria vida”, diz o diretor das imagens, André Barreto.

A canção ‘Chega’ já havia sido gravada antes da pandemia, período que Guilherme define como um “momento de reflexão e de tentar produzir de forma diferente”. Não fosse o coronavírus o clipe teria sido outro, provavelmente menos criativo, ele acredita. “Obviamente tudo isso é muito ruim, mas como temos o privilégio de estar e trabalhar em casa, tentamos produzir conteúdos para o Instagram e YouTube e conseguimos ‘tirar leite de pedra’”.

É preciso ‘tirar leite de pedra’ mesmo, já que a forma mais comum de produzir conteúdo para um grupo musical atualmente não é possível à Bravaguarda, pois os integrantes moram longe uns dos outros. “Temos feito lives, mas não com shows, porque queremos manter a regra do isolamento”, finaliza Pablo, que adianta que o coletivo está preparando novidades.

Grupo prepara novos conteúdos para redes sociais

No início de abril, quando o isolamento social ainda não estava tão forte, a banda lançou uma nova versão para uma de suas principais músicas, ‘Abra Essa Janela’. Agora acústica e com participação da cantora Cyz Mendes, a faixa ganhou uma nova roupagem e abriu caminho para outros projetos audiovisuais.

As imagens do novo clipe foram captadas numa casa de campo, que transmite a sensação de calma. “Essa canção fala justamente disso, da gente conseguir colocar nossa cabeça em ordem e sempre recomeçar quando tiver dificuldade na nossa vida”, diz Pablo.

A boa repercussão do vídeo fez a banda pensar em novos formatos para a criação de conteúdos nas redes sociais. Mais do que isso, agora tudo precisa ser gravado à distância. Lives acústicas apenas com os vocalistas e irmãos Danilo e Guilherme Barreto estão sendo estudadas, mas por enquanto o foco está em outra iniciativa.

Pablo afirma “não poder falar muito”, mas revela que o grupo está decidindo como serão as filmagens de um novo estilo de vídeos. Para não dar spoiler, ele apenas promete que serão tocadas as canções da banda “de modo divertido e fora do convencional”.


Deixe seu comentário