CARTAS

Erros do passado

Esta semana completaram-se três anos do afastamento da presidente Dilma Rousseff de seu cargo, ou seja, do Partido do Trabalhadores da Presidência da República.
Entretanto, uma parcela da população permanece presa a uma fenda temporal antes daquele 12 de maio, e não pára de repetir o mantra do “fora PT”.
O antipetismo chegou boa parte da população, que cedeu ao discurso de ódio e sem projetos de Jair Bolsonaro, que as portas de completar seu quinto mês de governo já demonstrou sua incapacidade política e ausência total de projetos para a Nação.
Tínhamos quatorze candidatos distribuídos por todo o espectro político e com diferentes níveis de experiência, mas optaram pelo anti-político, sem se aperceberem que na verdade se tratava de um deputado do baixo clero sem qualquer trabalho relevante e com os piores vícios que encontramos, como a utilização de funcionários públicos para a sua vida privada e fantasmas.
Se queremos construir um país melhor precisamos escolher um projeto, que de preferência passe por sólidos investimentos em educação, e parar de votar contra alguém ou algo.
Os erros do passado devem ser lembrados como lição e os responsáveis punidos adequadamente, mas o Brasil precisa deixar de ser uma Santa Inquisição de caça a petistas.

Luiz David Costa Faria
Mogi das Cruzes, SP