AVENIDA

Escola de samba Brazcubão aposta em religiões africanas

FOCO Integrantes da Brazcubão, que ficou em 2º lugar nos últimos três desfiles, finalizam preparativos. (Foto: Elton Ishikawa)

No domingo, a fé entra na avenida Cívica junto à Estação Primeira de Braz Cubas que este ano tem como enredo “Romaria Negra no Altar do Tempo: A Procissão da Vida”, com destaque para as religiões de matrizes africanas. No desfile das escolas de samba de Mogi das Cruzes, a agremiação contará com 480 componentes divididos em 12 alas e três carros alegóricos.

Nos últimos três desfiles – que aconteceram em 2015, 2016 e 2019 -, a “Brazcubão” esteve muito próximo do título e ficou em segundo lugar. “Nesses três anos, batemos da trave, então queremos muito ganhar. Por isso, vamos para a avenida com uma expectativa muito boa e com força de vontade”, disse o diretor de Carnaval da escola, José Antônio Ribeiro da Silva, o Zeca.

Para que o desfile saia como o esperado, o presidente diz que já está quase tudo pronto e que no final da tarde de hoje os trabalhos serão, de fato, concluídos. Enquanto isso, estão sendo feitos os ajustes finais, com o acabamento da decoração e a revisão das fantasias. Sem ter ainda o orçamento fechado, o presidente revela que os R$ 40 mil repassados pela Prefeitura não serão suficientes, já que os gastos já beiram os R$ 60 mil.

“Isso é o que precisamos para fazer um Carnaval competitivo, porque o Carnaval de Mogi cresceu, mas o repasse continua sendo o mesmo de 15 anos atrás. Mais do que isso também acho que falta maior divulgação do evento por parte da Prefeitura, porque muitas pessoas nem sabem o que acontece e isso acaba afastando a comunidade das escolas. Mas ainda assim tem muita gente que nos apoia”, frisou Zeca.

Junto à Acadêmicos do São João, a Acadêmicos da Fiel e o Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos da Vila Industrial, a Estação Primeira de Braz Cubas fecha o desfile do Grupo Especial de Mogi. Além delas, desfila pelo Grupo de Retorno a Guerreiras de Fogo, que levará à passarela o enredo “Não troco meu oxente pelo OK dessa gente”, que fala sobre o Nordeste.

“Romaria Negra no Altar do Tempo: A Procissão da Vida”

Canta Brazcubão em romaria

Bate forte bateria nessa procissão

Tenho fé e vou a luta

Na busca de gritar é campeão

Chegou!

O povo do samba em oração

Nas santidades negras a devoção

E no sopro do vento viaja na história

Em Roma antiga ficou na memória

Na África a bondade

A fraternidade em comunhão

Da santa escrava a luz

Aos desesperados conduz

É rezadeira… É rezadeira

Bate cabeça no congá

Oh minha senhora rezadeira

Acende a vela preto velho mandingueiro

Oh gira roda.. Roda gira no terreiro

Orixá baba… Orixá baba

Hoje tem festa lá na casa de Yayá

O santo rei mago

A santa freira, beatas e beatos

Um lindo espírito de luz

Anastácia dos olhos azuis

Bendito é, São Benedito

No mais lindo andor que já se viu

Nhá Chica… A primeira santa do Brasil

Salve Senhora da Conceição

Mãe Aparecida lhe estendo a mão

Olhai por nós, oh mãe querida

Ilumina nossa escola na avenida


Deixe seu comentário