EDUCAÇÃO

Escolas Estaduais do Alto Tietê podem aderir a programa de ensino integral em 2020

referência E.E. Adelaide Maria de Barros foi uma das primeiras a aderir ao ensino integral em Mogi das Cruzes. (Foto: Eisner Soares)
referência E.E. Adelaide Maria de Barros foi uma das primeiras a aderir ao ensino integral em Mogi das Cruzes. (Foto: Eisner Soares)

A Secretaria de Estado da Educação divulgará até o final do mês a lista de escolas estaduais do Alto Tietê que irão aderir ao Programa de Ensino Integral (PEI) em 2020. O prazo para as unidades de ensino interessadas no modelo sinalizarem interesse termina amanhã. A modalidade proporciona os estudantes uma matriz curricular diferenciada, com carga horária de até nove horas e meia – na rede regular a jornada é de cinco horas e quinze minutos.

Cinco escolas da região já seguem o modelo PEI. Em Mogi, unidades de ensino como Irene Caporalli de Souza, Dagoberto José Machado e Adelaide Maria de Barros – uma das primeiras a aderir ao programa – oferecem aulas em período integral. Já em Poá, o ensino integral acontece na escola Padre Eustáquio e, em Ferraz, na Iijima.

Atualmente, 417 escolas da rede estadual operam nesta modalidade. A expectativa da Secretaria é expandir o programa para pelo menos 100 unidades escolares, que tenham, em média, 500 estudantes cada.

O PEI se diferencia na inclusão de orientação de estudos, práticas experimentais, tutoria personalizada com um professor, além dos clubes juvenis, em que os alunos se auto-organizam de acordo com seus temas de interesse como dança, xadrez, debates, entre outros.

O modelo oferece benefícios, porém as instituições devem seguir diretrizes para obterem a expansão. O Governo do Estado de São Paulo publicou ontem a resolução que garante a expansão do programa, junto com as normas que devem ser seguidas pelas escolas.

Para o processo de adesão são necessárias reuniões formativas da Diretoria de Ensino com os diretores das escolas interessadas, e estes, por sua vez, ficarão responsáveis pelo engajamento e escuta da comunidade escolar.

Benefícios

Estudos apontam que o ensino integral ajuda a melhorar a aprendizagem dos alunos e aumenta a empregabilidade e renda dos egressos. Os alunos do Ensino Médio das escolas do PEI tiveram desempenho no último Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp) 1,2 ponto maior em relação aos estudantes das unidades regulares.

O PEI permite que os professores atuem em regime de dedicação integral a uma escola, com mais tempo para estudo e preparação de aula. Para isso, recebem uma gratificação de 75% sobre o salário-base.

Segundo a Secretaria, os docentes que estiverem lecionando nas escolas que aderirem ao programa terão prioridade para nelas permanecerem. A resolução traz mais uma novidade: o cargo destes professores, anteriormente transferido para outras unidades escolares, permanecerá naquela que aderir ao programa. Já os docentes que não quiserem ou não permanecerem no PEI ainda poderão trabalhar em uma escola próxima.

Em nota, a pasta destaca que “o investimento da Secretaria no ensino integral também ajuda a cumprir as metas previstas nos planos Nacional e Estadual de Educação que determinam que 50% das escolas devem oferecer essa modalidade de ensino até 2024 e 2026, respectivamente”.