ARTIGO

Escorregando no agá

gemoraesodiario@ig.com.br

Hilário Heliodoro Hermes Herculano, histórico historiador, hagiógrafo, homem honrado, hospitaleiro, hispano-brasileiro, é herdeiro da herdade de Hering Hitler, dos hortifrutigranjeiros de Hortolândia e Holambra, dos hotéis de Hanover, Hamburgo e Hollywood, da hemeroteca de Hermínio Hipócrates, dos haras de Hilton Hoss, da hípica de Horse Hipocampo, do harém de Hassan Hussein, do helicóptero de Henrique Hernandes, do hidroavião de Herman Hertz, da hidrovia de Hélio Hermanito, do Honda hidramático de Herbert Holden, da hidroelétrica de Heloise Haydèe, do hamster da Hannah Hill, da harpa de Hugo Horácio, do Hospital Homero de Holanda, da hiena de Hyula Hings, do Hipermercado Hirano Hirata, do hipopótamo do histriônico, hipocondríaco e hithcockiano Honorino Honorífico e da hiperssensualidade de Heráclito Hércules.

– Hurra! Que Hilário da hora pro himeneu da Heliodora!

– Da Heliodora, Helena, Hilda, Hortência, Hercilia, Honória…

– Haja hula-hula e holofote pra homenagear o homem.

– Mas o humilde, hábil, hermético e humorado Hilário, hesita em hastear a homérica herança nas hostis horas de hoje, que se homiziam nas hospedagens e nos hospícios dos hooligans.

– Hipoteco, sem honorários no holerite, honrosas homenagens ao Hilário, hodierno e honesto herói.

– Habituado aos hobbies do halterofilismo, handebol, hipismo e hóquei, o hétero e hiperativo Hilário habita no hidroterápico hemisfério da harmonia e da hombridade.

– No seu heliporto, Hilário higieniza o hálito com hortelã. No helicóptero, canta hinos hindus e… Sem hesitar… Dá-se ao haraquiri, em holocausto ao HIV.

– Então, meu caríssimo leitor, há humor na historieta? – Não! O que há, então? – Halitose hereditária de hippie hispanófobo, homicida, hipócrita, hipertenso, hidrófobo, com hérnia, hepatite, a comer hambúrguer de horror na horta do halloween.

Que homilética horripilante! Estou humilhado, hirto e horrorizado. Peço mil desculpas se acabei escorregando no agá, porém, uma coisa aprendi, e aqui, agora falo: não deve se meter em apertura, quem anda às voltas com calo.

Gê Moraes é cronista