PROJETO

Espaço cultural, Canto da Cabocla abre a agenda de shows em 2020

AUTORAL Cantora e proprietária do espaço, Sandra Vianna diz que a resistência cultural continua agora em 2020, quando o mogiano João Rafael faz a estreia da agenda da casa. (Foto: divulgação)

Em 2020, o Espaço Cultural Canto de Cabocla permanece ativo na luta e resistência cultural de Mogi das Cruzes. A casa retoma as atividades neste final de semana, com apresentação classic rock do mogiano João Rafael hoje, e a segunda edição de um projeto de samba, amanhã. A ideia é “manter tudo o que foi 2019 e procurar expandir”.

A definição é da cantora, compositora e proprietária do endereço, Sandra Vianna, que optou por manter a agenda colaborativa. “É um processo totalmente democrático. Tenho grupos de músicos que escolhem as datas e o formato dos shows”, conta.

É a partir destes acordos que o próximo mês de março será, mais uma vez, comandado apenas por mulheres – o Canto das Mina. Reflexo do que deu certo em 2019, é apenas um dos projetos do espaço para este ano, assim como o Bloco das Caboclas, que percorrerá as ruas da cidade durante o carnaval e também a intenção de concretizar uma reforma para a ampliação das instalações e do salão.

“Somos como uma criança, que está crescendo com vários cuidadores. Por ser assim, acabamos absorvendo várias influências, o que inclui apresentações em grupo, individuais, dança, artes cênicas, literatura, artes plásticas, curta-metragens, enfim, tudo o que couber e que a gente consiga produzir”, define Sandra, que informa os números dos últimos 12 meses: mais de 230 apresentações, sendo cinco por semana.

A gestora destaca a atuação de dois projetos em específico: o grupo Carta na Manga, que fez do Canto um dos palcos do Festival Internacional de Música Popular Latino-americana, em outubro passado, e também da mogiana Valéria Custódio, que tem promovido intercâmbios com músicos de outros estados.

Ao relembrar estas e outras iniciativas, como o recém-criado Choro no Canto ou uma também recente apresentação em homenagem aos Novos Baianos, Sandra avalia que em 2019 a “música autoral e de qualidade” ganhou mais espaço em Mogi, que passou a “ter mais espaços e movimentação”.

“Percebo que artistas que fazem parte dessa grade estão ocupando espaços em que antes não havia abertura”, afirma ela, para continuar dizendo que “o pop tem se transformado em sons com maior conteúdo informativo e desenvolvimento de senso crítico”.

Nas palavras de Sandra, trata-se de um “trabalho de resistência”, de não tocar o que está no rádio, preferindo o conteúdo “próprio e visceral”. “Tem gente dos 5 aos 70 anos que vai no Canto exatamente atrás dessa alternatividade. E não há divergência religiosa ou de orientação sexual”.

O cenário favorável faz com que todos os envolvidos na casa – que assumiu o papel de “sede” da MPB mogiana – pensem em novos horizontes. “Nosso objetivo é batalhar pelas leis de fomento, o que infelizmente não podemos fazer agora, pois ainda não somos uma associação, mas estamos trabalhando para isso”.

Agenda

Hoje, a partir das 20 horas, quem reinaugura a casa depois do recesso de fim de ano é o cantor mogiano João Rafael, que apresenta, entre outros estilos, os clássicos do rock. Já amanhã será vez da segunda edição do Choro no Canto, com Paulo Henrique, “Seu” Eurico e Jorge Bré, às 19 horas. Na semana que vem, Guilherme Bandeira tocará na noite de quarta, dia 8, Gui Moura e Renato Fiorentino a comandarão a de quinta, dia 9, Gui Cardoso a de sexta, dia 10, Ênio Lobo a de sábado, dia 11, e Evandro dos Reis a de domingo, dia 12.

O Canto de Cabocla fica na Rua Barão de Jaceguai, 944, no Centro. Outras informações estão disponíveis nas redes sociais do espaço ou pelo telefone 4726-8218.


Deixe seu comentário