MÚSICA

Evento resgata o som dos alternativos

PARA TODOS O final de semana terá bandas autorais e também discotecagens de pop, funk, emo e outros gêneros. (Foto: divulgação)
PARA TODOS O final de semana terá bandas autorais e também discotecagens de pop, funk, emo e outros gêneros. (Foto: divulgação)

Em junho de 2018, o Mais Brasil Bar, endereço tradicional da noite mogiana, se transformava em DigiClub, casa noturna com foco em produção autoral e alternativa. Agora, um ano depois, o empreendimento comemora o primeiro ano de atividades com a Festa das Festas, que acontecerá neste sábado, com entrada franca, a partir das 22h30.

Por ser uma ocasião especial, o evento reunirá discotecagens das principais festas que marcaram o caminho inicial do DigiClub. São elas: Ateliê Party e Antis Tardis, compostas por playlists variadas, mas com forte presença do pop dos anos 80; Festa dos Virgens, que agrega bandas autorais, Festa Emo, que inclui covers de sucessos dos anos 2000; Glow Party, mais voltada para o funk e para o público LGBTQI; e Freak Nation, com estilo mais eletrônico.

Se misturar tantos estilos na mesma noite parece uma loucura, o proprietário da casa, Wendell Cruz, explica: “Vamos homenagear os eventos que fizeram acontecer este último ano, com um pout-pourri deles, com uma hora de som de cada um”. De acordo com ele, 70% dos frequentadores do bar vão para lá independentemente do estilo musical da noite, e por isso a expectativa é de ver a casa cheia.

Ao dizer isso, hoje Wendell descreve o movimento como satisfatório, mas garante que não foi assim no início da nova operação. “Por 6 meses a gente ‘apanhou’, já que a formação do público atual só começou a se firmar em janeiro último, quando resolvemos focar na questão de bandas nas sextas e fazer as festas certas aos sábados”.

E quem é este público? “A galera que frequenta o bar tem em média 25 anos, e tem respeito pelo ser humano como eu nunca tinha visto antes. São pessoas com empatia muito grande, que sentem fácil a dor do outro. Boa parte delas tem filosofias de vida diferentes, e muitas são veganas”.

Justamente por terem este perfil os frequentadores do DigiClub tem reagido positivamente às iniciativas de valorização da música independente regional propostas por Wendell, que, a partir desta conscientização, tem atingido certa notoriedade no cenário estadual, nacional e internacional, recebendo grandes bandas brasileiras, como a Molho Negro, de Belém, que fez show no último Lollapalloza, e grupos da Rússia, Nova York, Índia, Holanda e outros países.

De acordo com ele, “a ideia foi comprada pelas pessoas, que tem percebido o quão importante é dar valor para artistas que estão começando e não tem grana para gravar CD ou estar na rádio”. “Como estamos perto de São Paulo, vários produtores têm oferecido bandas de fora que vem para fazer shows na capital e acabam se apresentando por aqui também”.

A fórmula para chegar a este ponto, segundo o empresário, foi composta por testes. “Testamos muitas coisas nesse primeiro ano, mas não sei se conseguimos continuar assim”. É que para ele, agora que o endereço está se consolidando, é importante manter as festas atuais e focar nas bandas, “pois isso fortalece”.

O endereço do DigiClub é Rua Engenheiro Gualberto, 199, no Centro. Mais detalhes sobre a Festa das Festas e outros eventos estão disponíveis em facebook.com/DigiClub ou pelo telefone 9.7269-1854.


Deixe seu comentário