ÚLTIMOS DIAS

Exposição de arte sacra se encerra nesta quinta-feira

Ainda dá tempo de conferir as peças seculares expostas na Pinacoteca de Mogi das Cruzes. (Foto: Divulgação)
Ainda dá tempo de conferir as peças seculares expostas na Pinacoteca de Mogi das Cruzes. (Foto: Divulgação)

Hoje é o penúltimo dia para conferir as peças da exposição ‘Arte Sacra em Mogi das Cruzes’, que está em cartaz na Pinacoteca desde setembro do ano passado. Nas três salas da mostra, divididas por obras de três séculos diferentes, altares, oratórios, imagens e outros itens históricos remontam a história religiosa dos últimos tempos, com destaque para o cenário mogiano.

Para acessar o acervo, é necessário subir os degraus que se mostram logo que o visitante chega à Pinacoteca. Lá em cima, a primeira sala é a Darcy Cruz, que reúne símbolos, santos e imagens confeccionadas no século XIX. Por serem as peças mais recentes, apresentam melhor estado de conservação e são mais coloridas, exibindo as formas de Santa Edwiges e Santa Gertrudes, Nossa Senhora da Piedade, São Benedito, São Domingos, São Roque e outras figuras, como Nossa Senhora da Boa Morte, deitada ao centro do ambiente.

Na Sala Maria José Camargo, cujo foco são obras do século XVII, as imagens cedem espaço para esculturas, como um enorme altar entalhado em madeira, que pertencia à Capela de Santo Amaro, no Bairro Beija-Flor, em Mogi. Além disso, fragmentos de fornos e pesados bancos remetem ao modo de viver da época.

O último espaço, com o nome de Idalício da Silva, guarda formas do século XVIII, como oratórios, crucifixos, uma coluna, resplendores e vários outros itens retirados de igrejas e capelas demolidas de toda a Cidade, como a antiga Matriz e Sant’Ana.

Mas não é só isso: como a mostra foi idealizada pela programação da Jornada do Patrimônio, da Secretaria de Estado da Cultura, ela exibe outras imagens raras, a exemplo da já citada Nossa Senhora da Boa Morte e um anjo tocheiro de roca que pertenceu à capela da Chácara da Yayá, além de vários “paulistinhas”, tipo de imagem típica da Capital, com aproximadamente 15 centímetros de altura.

Nos três pontos da exposição, o jogo de luzes traz a seriedade necessária para a compreensão dos trabalhos, que contam com painéis explicativos e decorativos, retratando passagens bíblicas e outras situações históricas. A recomendação de O Diário é ir com tempo para ver, ler e interpretar todo o material, num passeio que vale inclusive para o público infantil.

‘Arte Sacra em Mogi das Cruzes’ segue aberta hoje e amanhã, as 8h às 17h. A visitação é gratuita e o endereço é Rua Coronel Souza Franco, 993, no Centro.