CARTAS

Falta de vagas

Um domingo desses, ao retornar de uma visita ao bairro do Botujuru, chamou-se a atenção a enorme quantidade de veículos parados à margem da avenida Francisco Rodrigues Filho, no trecho próximo ao parque Centenário. Era começo de tarde e o acumulado de carros de passeio ultrapassava meio quilômetro. Os veículos pertenciam a pessoas que foram ao parque e não encontraram um local adequado para estacionar e foram obrigados a deixar a condução a uma respeitável distância e seguir a pé para algum tempo de lazer num dos poucos espaços de qualidade que a cidade oferece.

O modesto estacionamento do Centenário, é claro, estava lotado, assim como os espaços internos.

Em minha passagem por ali pude notar também que não havia qualquer aparato para garantir a segurança dos veículos que foram deixados ao longo da avenida. Eles estavam literalmente abandonados, correndo o risco de serem visitados por marginais e furtados.

Que o parque se tornou a menina dos olhos dos mogianos, não há que se duvidar, nem discutir. Por isso mesmo, é preciso que nossas autoridades dediquem uma atenção especial aos seus frequentadores, oferecendo-lhes maior comodidade e todas as condições possíveis de tranquilidade. Não é justo, portanto, que os visitantes do parque tenham de deixar o carro ao Deus dará, parado ao lado da estrada de grande movimento, sujeito a toda sorte (ou azar!).

Está na hora de assegurar melhores condições aos mogianos que vão até lá em busca de lazer e que, certamente, não terão o sossego merecido tendo que deixar seu carro na beira da estrada.

João de Oliveira Casanova

joc2019@yahoo.com.br