SANEAMENTO

Família de Mogi pede reparo de rede de esgoto há 30 dias

INDIGNAÇÃO Sem o reparo na rede de esgoto, baratas e ratazanas começaram a circular em rua. (Foto: Eisner Soares)
INDIGNAÇÃO Sem o reparo na rede de esgoto, baratas e ratazanas começaram a circular em rua. (Foto: Eisner Soares)

Há cerca de um mês, dona Neusa Maria dos Santos, moradora da rua Gumercindo Coelho, 585, na Vila Cecília, em Braz Cubas, vem tentando, sem sucesso, junto ao Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) resolver um problema que acabou sendo duplicado, após uma intervenção de funcionários da autarquia na via que passa diante de sua residência. O problema tem provocado desdobramentos nada saudáveis para integrantes de sua família, como aconteceu na madrugada de ontem, quando uma de suas netas acabou sendo mordida por um rato em uma das mãos. O animal, segundo ela, teria saído de uma caixa de esgoto aberta e abandonada pelo Semae, na calçada de sua casa.

“É um absurdo o que está acontecendo aqui”, contou ela, ao solicitar a interferência do jornal na busca de solução para o problema que está afetando sua família e vizinhos naquela região da cidade.

Dona Neusa conta que, há cerca de um mês, notificou o Semae por conta da passagem de um caminhão que provocou um buraco na rua, defronte sua casa, afetando a rede de esgoto. Depois de muito tempo, uma equipe do Semae teria aparecido por lá e, sem consertar a deficiência na rede, acabou por quebrar a caixa de esgotos existente na calçada do sobrado, onde ela mora com a filha Alessandra e três netos.

O problema só se agravou depois da visita, já que a caixa e o buraco não foram consertados. “E de lá passaram a sair baratas e ratos com frequência. Na madrugada de hoje (quarta-feira), um rato mordeu a mão de minha neta que dormia em seu quarto, no andar térreo, e ela teve de ser levada para o hospital, durante a madrugada, para ser medicada, correndo sério risco de contaminação”, conta dona Neusa, irritada com falta de ação da autarquia.

Ela cobra providências urgentes e pede a interferência do prefeito Marcus Melo (PSDB) na solução para o problema de sua rua. “Acho que somente a intervenção do prefeito poderá nos ajudar”, disse ela, demonstrando preocupação com a saúde de sua família, diante da invasão de animais peçonhentos provenientes do esgoto aberto diante de sua casa.

Outro lado

Procurado pela reportagem deste jornal, o Semae encaminhou a seguinte resposta, por meio da Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura Municipal:

“O setor de manutenção de esgoto informa que, para um serviço de desobstrução, a tampa da caixa de inspeção foi danificada porque estava lacrada. De acordo com o regulamento do Semae, a tampa deve estar hermeticamente fechada, mas não pode ser lacrada pelo morador, exatamente pela necessidade de, eventualmente, ter de abri-la para inspeção e/ou manutenção.

A autarquia identificou que o ramal de esgoto (ligação da rede com a residência) está quebrado. Pelo local, passa uma rede de gás encanado e é necessário aguardar a companhia responsável fazer a marcação para evitar acidentes com a tubulação de gás.

A equipe do Semae tentará fazer o trabalho de forma manual (o que evita o risco de acidentes com a rede de gás) para solucionar o problema de forma mais rápida e também providenciará o reparo da tampa da caixa de inspeção. A autarquia reforçará a orientação para que a tampa não seja lacrada”.