PARA OS PEQUENOS

Festival em Mogi das Cruzes reúne música, circo e teatro

PARA OS PEQUENOS Fundadores do Terra de Almofadas, Dani Dias e Amanda Araújo apresentam o espetáculo ‘A Valsa e o Bem Te Vi’ gratuitamente neste sábado. (Foto: divulgação)
PARA OS PEQUENOS Fundadores do Terra de Almofadas, Dani Dias e Amanda Araújo apresentam o espetáculo ‘A Valsa e o Bem Te Vi’ gratuitamente neste sábado. (Foto: divulgação)

Um “espaço de desenvolvimento humano por meio da música e da arte”. Esta é a premissa da sede do grupo Terra de Almofadas, que será inaugurada neste sábado, na Vila Lavínia. O lançamento da casa vem acompanhado de um festival que segue até o final de outubro com espetáculos musicais, circenses e teatrais, todos voltados ao público infantil.

A programação começa neste sábado, dia 5, com uma apresentação gratuita – ‘A Valsa e o Bem Te Vi’, cujo nome é o mesmo do segundo disco lançado pelo Terra de Almofadas, no qual prevalece a lição de que todos têm talento. Por meio de canções autorais os pequenos poderão conhecer dois irmãos que foram abandonados e criados por uma velha senhora: a menina, Valsa, tem uma nota musical no lugar de uma perna, e o menino, Bem Te Vi, solta penas pelos olhos quando chora.

Na sequência, no domingo dia 6, Erich Sant’ana e a Família Ver’Arte sobem ao palco do endereço para uma oficina circense. Depois, no dia 13, neste mesmo horário, Denise Andere fará uma contação de ‘Estórias e Brincadeiras da Melopeia’.

Já no dia 20 quem marca presença é a companhia teatral Clara Trupi de Ovos y Assovios, que fará uma sessão especial da peça ‘Coisas de Menino Boneco’, também às 16 horas. E para encerrar, diretamente de São Bernardo do Campo o grupo Jequitiranabóia encenará ‘Bicho Mistério’ às 10 horas do dia 27.

Dani Dias, 33, um dos fundadores e integrantes do Terra de Almofadas, diz que a ideia dessas atividades e também do espaço, de modo geral, é trabalhar com “arte-terapia”. “Queremos desenvolver a arte nas pessoas. A utilizaremos para aguçar valores, e consequentemente quem participa vai tocar algum instrumento, como o violão, por exemplo. Vamos instigar a criatividade e improvisação, pois não há contribuição maior para uma aula de música que estes fatores”.

Partindo deste pensamento, o espaço oferecerá aulas variadas para que “as pessoas possam experimentar diferentes sensações como dançar, tocar ou atuar”. E o interessante é que a agenda será feita a partir da demanda manifestada pelo público do festival. “Vamos disponibilizar fomulários para que as pessoas preencham o que gostariam de fazer em cada horário, e depois vamos abrir as matrículas”, explica Dani, que tem a intenção de promover atividades entre pais e filhos e até mesmo capacitação para pedagogos.

O projeto

Desde 2014, Dani Dias e Amanda Araújo trabalham juntos, motivados inicialmente em modificar o que as crianças costumavam ouvir em festas de aniversário. Após as primeiras apresentações cantando cantigas de roda, sentiram a necessidade de gravar um CD. Hoje já estão no terceiro álbum, em produção pelo Estúdio Municipal de Áudio e Música (Emam).

“São músicas de criança tocadas por crianças” explica Dani, o que é verdade. O primeiro álbum foi feito com alunos do Colégio Cristão, o segundo com estudantes do Instituto Dona Placidina e o mais recente está sendo registrado pelas crianças do Colégio Amor ao Saber.

Outras informações sobre o projeto estão disponíveis em facebook.com/terradealmofadas. O endereço da sede é Avenida Dona Antônia Maria de Sousa, 650, na Vila Lavínia, e o ingresso para as atividades do festival custa R$ 10,00 por pessoa.


Deixe seu comentário