ATUAL

Festival infantil online estimula brincadeiras saudáveis

PARA CRIANÇAS Bia Mello e as irmãs Juliana e Josi Coutinho são algumas das integrantes de um grupo de professores de música que prometem ensinar, entreter e divertir os pequenos pela internet. (Foto: divulgação)
PARA CRIANÇAS Bia Mello e as irmãs Juliana e Josi Coutinho são algumas das integrantes de um grupo de professores de música que prometem ensinar, entreter e divertir os pequenos pela internet. (Foto: divulgação)

Com as escolas fechadas e praticamente todas as atividades extracurriculares paralisadas, as crianças têm passado mais tempo em casa. Por ser assim, passam mais tempo também em frente a telas de computadores, celulares e televisões. Para estimular brincadeiras mais saudáveis, um grupo de professores de música decidiu se unir para criar um festival voltado aos pequenos, o “Fique Bem Musical”, que acontecerá na próxima semana, entre os dias 19 e 22, sempre às 17 horas.

A cada dia, o público ligado nos perfis @jubsouza13 e @terradealmofadasoficial no Instagram poderá acompanhar 30 minutos de atividades ao vivo, mais dois vídeos gravados, sendo um de abertura e outro de encerramento. O conteúdo é todo lúdico e trabalha conceitos de musicalização infantil ao mesmo tempo em que entretém e diverte.

Quem abre a agenda, na terça-feira, é Juá de Casa Forte, com a apresentação “Música para a Criança Interior”, que começa com “alguma brincadeira que todos já conhecem” para depois gerar “curiosidade a partir de algo desconhecido”e ainda “emocionar por meio da alegria, da diversão e da bagunça”.

No dia seguinte, Bia Mello explora “o som e as características de alguns instrumentos musicais, despertando a curiosidade e a escuta das crianças” com a atividade “Que Som É Esse”.

Na sequência, na quinta-feira as irmãs Juliana e Josi Coutinho trabalharão “Concentração, ritmo e criatividade”. O objetivo delas é tocar músicas que proporcionem um “momento gostoso para brincar, se divertir e interagir, que seja prazeroso entre pais e crianças para se descontraírem da pandemia”.

Para encerrar a programação, Célia Fonseca propõe “brincadeiras simples” mas com “movimento”, a partir da ação “Musiplicadores”, onde os baixinhos ganham a missão de espalhar os conceitos aprendidos.

Além de tudo isso, Cléo Silva aparecerá nas redes sociais todos os dias, com vídeos introdutórios, publicados alguns minutos antes das lives. “Serão atividades curtas, com fantoche e ukulele, para chamar as pessoas a participar e já interagir com eles”, explica ela.

Promover a continuidade das atividades em casa também será o foco dos vídeos diários de Camila Valiengo, que funcionarão como uma despedida para as lives, sendo disponibilizados logo após o encerramento do conteúdo principal.

Toda a programação foi pensada por pessoas acostumadas a trabalhar com o público infantil. É por isso que as transmissões ao vivo terão 30 minutos e não mais tempo, como têm sido as ações voltadas aos mais velhos.

“Esse foi o tempo médio que acordamos porque como professores temos experiência e sabemos o tempo de atenção das crianças para uma atividade. Acreditamos que na quarentena elas já estejam sueprexpostas ao computador e aos celulares, e como somos a favor do brincar físico e criativo, não queremos prendê-las por muito tempo”, explica Cléo, cuja intenção é proporcionar um “brincar mais livre, e não focado numa tela”.

Quem concorda com ela é Dani Dias, do grupo Terra de Almofadas, um dos perfis onde tudo será exibido. “O festival surgiu porque queríamos nos unir, e porquê não começar fazendo algo bacana, doando o que a gente tem de melhor? As crianças estão muito tempo em casa e queríamos presenteá-las com esse tempo positivo, prazeroso, musical, artístico, produtivo e ativo”.

O coletivo de professores destaca que todos estes adjetivos também podem ser sentidos pelos pais, responsáveis ou qualquer adulto, mesmo que não tenha filhos. “Todo mundo tem uma criança dentro de si” é o que acreditam os integrantes do “Fique Bem Musical”.


Deixe seu comentário