Fim da esperança

Conforme publicado por O Diário na edição do último dia 10, o prefeito Marco Bertaiolli (PSD), em entrevista concedida ao Jornal, disse que a crise econômica não causou paralisia no Município e destacou obras viárias em andamento, além de outras no setor de Saúde e Educação. Informou que até 31 de dezembro deste ano, quando termina seu segundo mandato, pretende entregar 30 projetos em execução e concluir a contratação de três outros em andamento, num pacote composto por 33 obras públicas, orçadas em R$ 442.096.542,80. Infelizmente, e mais uma vez, o prefeito não incluiu no tal pacote de obras a reconstrução da Avenida Miguel Gemma, no Bairro do Socorro. Como se sabe, aquela importante via, pessimamente duplicada em 2008 no governo do ex-prefeito Junji Abe, apresenta graves imperfeições em toda sua extensão, necessitando de pesada intervenção para ficar em condições normais de trafegabilidade. Estranhamente, sempre foi dito que a Miguel Gemma não podia ser recuperada por falta de recursos. Mogi das Cruzes é considerada a 60ª Cidade mais rica do País, o prefeito Marco Bertaiolli acaba de destacar a execução de 33 obras públicas até o final de seu segundo mandato, mas não há recursos para a reconstrução da Miguel Gemma. Dá para entender? Será mesmo esse o motivo de tão grave descaso? A respeito desse assunto, O Diário publicou, na edição de 13/09/2013, editorial com o título “Sem esperança”. Tendo o atual prefeito pouco mais de 200 dias para concluir seu segundo mandato, só nos resta lamentar o “fim da esperança”. Que pena!

Paulo Sergio da Silva Pimentel
paulospimentel@yahoo.com.br