AÇÃO

Fiscais fecham 12 salões de cabeleireiros em Mogi durante a quarentena

O governador João Doria (PSDB) deve decidir na segunda-feira se vai prorrogar a quarentena no Estado de São Paulo. Desde o último dia 24, está permitido somente o funcionamento de serviços considerados essenciais e, por enquanto, isso vale até terça-feira. Em Mogi das Cruzes, alguns salões de cabeleireiro não têm cumprido o decreto e, até anteontem, 12 estabelecimentos da cidade tiveram as atividades paralisadas pelo Departamento de Fiscalização de Posturas.

As atividades nesses locais vêm sendo desempenhadas e divulgadas livremente nas redes sociais. Em um espaço no centro, por exemplo, a agenda está aberta aos clientes e o local apena informa que está atendendo em horário reduzido, com hora marcada e tomando cuidados com a higiene. Em outro, basta mandar uma mensagem para que sejam oferecidas as opções de serviço e em qual unidade será feito o atendimento.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Segurança reforçou que o funcionamento de salões de beleza não é permitido, se acordo com o decreto de quarentena do Governo do Estado. O atendimento destes profissionais pode ser feito apenas nas residências dos clientes.

“O trabalho de acompanhamento sobre o funcionamento de estabelecimentos comerciais na cidade está sendo feito pelo Departamento de Fiscalização de Posturas, junto à Guarda Municipal. Frente à denúncia, os locais apontados serão vistoriados pelas equipes de fiscalização”, completa a nota. A Secretaria lembra ainda que a população pode denunciar o funcionamento de comércios não autorizados pelo decreto estadual por meio do telefone 153, da Guarda Municipal.

Ontem, o Mercado Municipal foi reaberto parcialmente, com a permissão de funcionamento somente para as lojas que comercializam itens de primeira necessidade, como açougues, mercearias, hortifrútis e ração. Além disso, apenas 50 consumidores podem entrar no espaço por vez, tendo prazo máximo de permanência de uma hora. No centro, outras lojas que estão abertas são as de materiais de construção, que também têm autorização para isso.


Deixe seu comentário