EDITORIAL

Gigantes bombeiros

Semana passada, O Diário registrou, de um lugar privilegiado, o desfecho de uma história nascida em suas páginas. A convite do Corpo do Bombeiros, o estudante Jefferson Rodrigues do Espírito Santo, conheceu a rotina da corporação pública reconhecida por receber um dos maiores índices de aprovação popular justamente por sua essência – a atuação em defesa da comunidade.

Algumas semanas atrás, Jefferson foi personagem de uma reportagem sobre o autismo e contou à jornalista Larissa Rodrigues qual era o seu maior sonho: conhecer os bombeiros, por quem nutre uma admiração profunda.

Por iniciativa própria, após tomarem conhecimento da reportagem, integrantes do Corpo de Bombeiros procuraram a redação com o intuito de satisfazer o desejo do jovem admirador. E assim aconteceu: Jefferson, a mãe dele, Patrícia Soledade Dias de Souza, e a professora Lourdes de Moraes Pezzuol, foram recebidos pelo tenente Everton Godoi e outros bombeiros na unidade do Shangai, onde outras programações semelhantes são destinadas a estudantes.

Foi uma visita cheia de significados sobre como a atuação pessoal de determinados agentes públicos consegue alterar, para melhor, o relacionamento entre o estado e o cidadão. Um exemplo, nesse caso, foi a participação da escola na descoberta de habilidades e dos interesses de um aluno por uma profissão. Foram as conversas entre os professores e Patrícia que conseguiram identificar a admiração de Jefferson pelo desempenho dos bombeiros e, quem sabe, contribuir para o desenho de um futuro profissional para o jovem.

A missão do Corpo de Bombeiros é preservar a vida humana na defesa civil, prevenção e combate a incêndios, afogamentos e a diversos outros acidentes ou incidentes. No socorro ao outro, em condições dificílimas, em grande parte das vezes, os bombeiros são realmente “gigantes”, como Jefferson expressou em uma homenagem entregue por ele aos seus ídolos.

Aos atos de coragem, heroismo, técnica e conhecimento que caracterizam a profissão, os bombeiros de Mogi somaram, com gigantismo, a solidariedade e a empatia. E protagonizaram um daqueles momentos que este jornal tem orgulho em de registrar e dar publicidade: a construção de pontes para melhorar a vida das pessoas, e o exercício do compromisso social feito por servidores, apesar da realidade vivida na administração pública, marcada pela precarização de salários e condições de trabalho, e o desinteresse por esses afazeres.