ESTELIONATO

Golpe da panela faz mais vítimas

A notícia ouvida em uma reportagem na TV Diário sobre uma família de Suzano, vítima de um golpe conhecido em alguns estados, fez a aposentada Sueli do Prado reviver o que a incomoda desde abril passado. Ela  também comprou um conjunto de panelas apresentadas como sendo importadas e modernas de um vendedor bem vestido em Bertioga. Na verdade, o produto é falsificado. O golpe? O da panela importada.
Moradora em Mogi, Sueli acredita que o grupo pode estar atuando na cidade. “Como eu, muitas pessoas que são enganadas ficam revoltadas, envergonhadas, e podem nem comentar com os filhos”, disse,
fazendo questão de alertar outras pessoas. A forma de agir do golpista é semelhante à contada pelo casal Liliane Rodrigues dos Santos e Antônio Vioto, moradores de Suzano à TV Diário.

Um homem apresentou a Sueli apenas uma frigideira, de material mais pesado, e as caixas do conjunto de panelas que seria importado e de material reforçado estavam dentro do carro usado por ele. Como Sueli iria comprar um presente de casamento, ela acabou acreditando no apelo do golpista de fala ágil que dizia ser aquele, o último conjunto do estoque. Por isso, o preço sairia com um desconto. O valor seria R$ 1,5 mil, com a promoção para encerrar “as vendas” naquele dia, o negócio ficaria em R$ 1,1 mil. O pagamento foi feito no cartão de crédito em nome de J.M.Jesus, em 12 parcelas de R$ 100. Ao abrir a embalagem
para empacotar o presente, no entanto, a mogiana notou rapidamente que havia sido enganada. As peças são de péssima qualidade. Ao serem colocadas no fogão, rapidamente ficam pretas. Apenas a frigideira é de
material pouco superior. Ela perguntou sobre a nota fiscal. E o malandro disse que o recibo fiscal chegaria pelo Correio. Sueli tentou sustar na agência bancária o pagamento das demais 11 parcelas. Mas, não obteve sucesso e ainda espera por abril do ano que vem para quitar a última prestação. Em Suzano, o casal Liliane e Antonio Vioto conseguiu cancelar o pagamento das demais parcelas, depois de registrarem a ocorrência.
O golpe das panelas importadas tem sido aplicado em diversas cidades brasileiras. Em algumas praças, alguns golpistas foram presos. Mas há relatos de denúncias e prejuízos em diferentes estados, Minas Gerais, Mato Grosso, Alagoas e Paraná, em uma rápida consulta pela internet. “As pessoas precisam ficar sabendo porque se eles agiram em Suzano e Bertioga, devem também ter passado por Mogi”, suspeita Sueli.

 

DANOS Ao ser colocada no fogo, rapidamente a panela ficou preta para indignação de consumidora                                                 Foto Divulgação

 

O que fazer Especialista em Direito do Consumidor, Dori Boucault, afirma que há como interromper o pagamento de parcelas de compras impróprias, que possuem vícios ocultos, como é o caso das panelas. A orientação é procurar o Procon e registrar um boletim de ocorrência. Dori alerta para a impropriedade da compra de terceiros, que batem na casa das pessoas, ou estão nas ruas. “Não é um produto original, não tem nota fiscal, é golpe”. Outra dica é ficar atento ao preço. Aproveitadores podem negociar o produto por valores muito mais baixos do que os
praticados pelo mercado.


Deixe seu comentário