CASO

Guarda municipal pode ir a júri por mortes em Itaquaquecetuba

O guarda municipal Adriano Borges Rodrigues, de 42 anos, que trabalha em Itapecerica da Serra, já foi indiciado em inquérito por duplo homicídio, tentativa de homicídio, abuso de autoridade e lesão corporal dolosa pelo delegado Rubens José Angelo, titular do Setor de Homicídios de Mogi das Cruzes, conforme ele explicou ontem. Adriano também foi denunciado pelo Ministério Público e poderá ir a julgamento pelos crimes.

Na tarde de 12 de outubro de 2019, Adriano e o colega Emanuel Formagio, então com 39 anos, retornavam de Aparecida com duas mulheres na garupa das motos, quando resolveram parar para abastecê-las em um autoposto no km 35 da rodovia Ayrton Senna, em Itaquá.

No local, surgiram dois bandidos que anunciaram o roubo das motos BMW e Honda. Os guardas estavam armados com pistolas, de calibre 380, e reagiram. Ao concluir o inquérito policial, o delegado Rubens Angelo apurou que Adriano se excedeu e acabou matando dois homens que se encontravam em um Fiat Siena. São eles: Rodinei Alves dos Reis, de 33 anos, e Bruno Nascimento Martins de Souza, de 32 anos. Os dois colegas também resolveram colocar gasolina no carro após venderem sorvetes.

O guarda Emanuel estava acompanhado da namorada, a enfermeira Roberta Maria de França, de 35 anos. Ela foi baleada no tiroteio e morreu no local. Já a farmacêutica Denise Andrade de Miranda, de 29 anos, acompanhava o marido, o guarda Adriano. Na troca de tiros, ela foi atingida de raspão na nuca e no joelho direito.

O colega de Rodnei e Bruno, baleados no interior do Fiat Siena, identificado como Kaue Oliveira Francisco, de 21 anos, foi detido. Adriano o teria torturado embora o rapaz tivesse sido algemado por ele. O guarda acreditava que Kaue fosse um dos autores do roubo. O jovem contou à Polícia na ocasião que retornavam de Aparecida, onde venderam sorvetes, e pararam no posto para abastecer, sendo confundidos com os criminosos.

Testemunhas afirmaram que a dupla de bandidos efetuou diversos disparos no local. Um deles, Caio Jorge Marques, de 20 anos, foi baleado na perna e acabou preso pela Polícia Militar na Santa Casa, em Suzano. Este assaltante foi reconhecido como o autor do roubo da BMW, de Adriano.

O delegado Rubens José Angelo esclareceu que Caio Marques fugiu do posto na hora do assalto na companhia de mais um bandido, o qual trata-se de Caio Juan Gonçalves de Melo, de 19 anos.

O titular da Homicídios descobriu a identidade do suspeito, requisitou e obteve da Justiça a sua prisão preventiva. O marginal atualmente está preso no Centro de Detenção Provisória, no bairro do Taboão. “O guarda Adriano segue trabalhando em Itapecerica da Serra e responde pelo processo em liberdade. Já o seu colega Emanuel agiu de acordo com a lei e não cometeu nenhum crime”, concluiu o delegado Rubens Angelo.


Deixe seu comentário