INFORMAÇÃO

Há 19 anos, o Pão de Açúcar assumia seis lojas do Shibata

O negócio foi fechado pessoalmente pelo empresário Abílio Diniz

Amanhã, dia 22 de novembro, há exatos 19 anos, num lance de ousadia, o empresário Abílio Diniz, à época o todo-poderoso do Grupo Pão de Açúcar, assumia o controle de três supermercados e três hipermercados pertencentes à família Shibata, em Mogi das Cruzes. O negócio havia sido fechado alguns dias antes, em 29 de outubro de 1999, por valores até hoje não divulgados e previa a manutenção dos 1.100 funcionários que prestavam serviços nas seis unidades. Aquele deveria ser o ponto de partida para a instalação de outras unidades do GPA em cidades da área Leste da Capital. Durante visita a Mogi, a segunda feita, à época, em pouco mais de uma semana, Diniz prometia agressividade nos preços e bom crediário. Ele já havia decidido que os hipermercados do Mogilar e de Braz Cubas, junto à Avenida Perimetral, teriam a bandeira Extra, enquanto as outras quatro unidades iriam operar como supermercados da rede Barateiro, assim como a antiga loja do Pão de Açúcar, das proximidades do antigo Cine Avenida, no Centro. A grande novidade para os mogianos seria a loja do Mogilar funcionando 24 horas por dia. Tudo era expectativa, principalmente depois que os Shibata promoveram uma verdadeira queima de produtos a preços de liquidação, pois precisavam se livrar, com urgência, de seus estoques e liberar os espaços das lojas que eles haviam implantado ao longo de 23 anos de trabalho intenso. O patrimônio locado ao Pão de Açúcar representava mais de 100 mil m² de área total e 24 mil m² de áreas de vendas, onde funcionavam 150 caixas. No contrato de cessão, que incluiu somente os pontos comerciais e equipamentos – sem os prédios –, ficou acordado que os Shibata não poderiam abrir novos supermercados em Mogi durante os próximos cinco anos. As expectativas com a vinda do grande grupo empresarial do varejo duraram pouco tempo. As promessas de Abílio não foram cumpridas na totalidade, lojas foram fechadas e reduzido o horário integral do Mogilar. Os Shibata foram, aos poucos, retomando alguns antigos pontos. Primeiro, na Vila Industrial, depois na Rua Otto Unger, no Centro. Hoje, a expectativa é que o grupo mogiano reassuma outros endereços e finque definitivamente sua bandeira nos principais espaços ocupados pelo GPA, o que dificilmente ocorrerá. Os Shibata, que na época, prometiam voltar ao varejo a partir de um supermercado que construíam em Itaquá, cresceram além de suas expectativas. O Grupo possui atualmente 23 lojas em cidades do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte, administradas com ajuda das segunda e terceira gerações da família, que continua apostando no trabalho duro e sério como principal fator de seu sucesso.

Mahindra

A possível instalação, em Mogi das Cruzes, da fábrica de tratores Mahindra, de origem indiana, parece ter entrado em estado de permanente letargia. Não se ouve mais falar do projeto que parecia prestes a ser concretizado. Enquanto isso, São Carlos, no Interior de São Paulo, começa a ser citada como mais cotada para receber a nova indústria. A conferir.

Quedas

A Câmara de Mogi aprovou, recentemente, projeto de lei que cria a Semana Municipal de Prevenção de Quedas, de autoria do vereador Sadao Sakai (PR). O objetivo é conscientizar a população sobre os principais fatores de risco para as quedas, envolvendo principalmente os idosos. Um bom começo para a tal Semana seria uma campanha para regularizar a situação das calçadas da Cidade. Afinal, são elas que representam o maior perigo para idosos, crianças e deficientes físicos.

Redução

O mandato do vereador Pedro Komura (MDB) como presidente da Câmara de Mogi está chegando ao fim e não se tem notícia de qualquer iniciativa para reduzir o número de integrantes do Legislativo, como prometido por ele no início deste ano. A notícia que obteve reações positivas quando divulgada por este jornal, acabou caindo no esquecimento como tantas outras boas ideias que não conseguem sair do papel depois de apresentadas.

Imperdível

A pianista paulistana Eudóxia de Barros, 81 anos, irá se apresentar, no próximo dia 27, às 20 horas, no Teatro Vasques, em Mogi. Com entrada franca, o programa reúne compositores brasileiros, além de Scarlatti, Beethoven, Liszt e Grieg. E será promovido pela Prefeitura em parceria com o Coral do Carmo. Esta será a terceira vez que Eudóxia, uma das principais pianistas do País, se apresenta em Mogi. Os ingressos já podem ser retirados no Vasques.

Frase
O político brasileiro é um sujeito que vive às claras, aproveitando as gemas e sem desperdiçar as cascas.
Apparicio Fernando de Brinkerhoff Torelly, o Barão de Itararé (1805-1971), jornalista, escritor e pioneiro no humorismo político brasileiro