Hillary retoma liderança em pesquisa

A candidata democrata à Presidência dos EUA, Hillary Clinton, recuperou a liderança frente ao republicano Donald Trump, segundo pesquisa da rede CNN em parceria com o instituto ORC divulgada nesta segunda-feira (1º). Hillary tem 45% das intenções de voto nacionalmente ante 37% de Trump. O libertário Gary Johnson tem 9%, e a candidata pelo Partido Verde, Jill Stein, 5%.

O levantamento ouviu 1.003 pessoas entre os dias 29 e 31 de julho, logo após a Convenção Nacional Democrata, que terminou no dia 28. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa anterior da CNN, realizada entre 22 e 24 de julho, trazia o magnata na liderança, na esteira da Convenção Nacional Republicana – 44% a 39%.

Quando considerados apenas os dois candidatos dos partidos majoritários, Hillary aparece com 52% das intenções de voto, enquanto Trump tem 43%. Em outra pesquisa divulgada ontem, realizada pela emissora CBS, Hillary lidera com sete pontos de vantagem: 46% a 39%.

A média entre todas as pesquisas divulgadas até o momento, calculada pelo site Real Clear Politics, reflete um cenário menos vantajoso para a democrata. Hillary tem 45,9% e Trump 42%.

O sistema eleitoral dos EUA é indireto e considera a votação por Estados, levando à composição de um colégio eleitoral com delegados, em vez de considerar vencedor o candidato com mais votos nacionalmente.

A pesquisa da CNN também indicou que 49% dos entrevistados afirmaram que, após a convenção democrata, se sentem mais aptos a votar em Hillary – 39% disseram que se sentem menos inclinados a isso.

Na semana passada, 42% afirmaram estar mais aptos a apoiar Trump depois da convenção republicana, e 44% informaram o contrário.

Já a pesquisa do Instituto Gallup que avalia a opinião sobre os partidos após as respectivas convenções aponta que 44% ficou com uma impressão mais favorável da legenda democrata e 42%, menos favorável. No caso dos republicanos, 52% ficaram com uma impressão pior após a convenção do partido.

Venezuela

O CNE (Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela) anunciou que aprovou a primeira etapa da coleta de assinaturas do referendo para tentar revogar o mandato do presidente Nicolás Maduro. Segundo a chefe do órgão eleitoral, Tibisay Lucena, a coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD) conseguiu as firmas de 1% do eleitorado nos 24 Estados do país – ou 195 mil pessoas.

Agora, a oposição começará a segunda etapa da coleta de assinaturas. Nesta fase, serão necessárias as firmas de 20% do eleitorado ou 3,9 milhões de pessoas. A oposição afirma ter o apoio de 4 milhões de venezuelanos.


Deixe seu comentário