ATUALIZADO

Homem é morto com tiro após ameaçar mães, alunos e PM no Mogi Moderno

NO POSTO Viaturas permaneceram junto à base da PM que teve um dos vidros quebrados pelo homem. (Foto: Elton Ishikawa)
NO POSTO Viaturas permaneceram junto à base da PM que teve um dos vidros quebrados pelo homem. (Foto: Elton Ishikawa)
Um homem armado com uma enxada, que não foi identificado até o começo da noite desta quinta-feira (06), danificou às 12h50 a Base da Polícia Militar na avenida Pedro Machado, no bairro do Mogi Moderno, ao lado da Igreja Santo Antônio. Um policial militar desferiu um tiro para conter o agressor que agia com violência, e foi socorrido no Hospital Luzia de Pinho Melo, no Mogilar, onde morreu depois de receber cuidados médicos. Segundo a Polícia, anteriormente, o acusado já havia ameaçado alunos e mães de uma escola na avenida Brasil, além de outras pessoas que caminhavam pela Pedro Machado.
O delegado Denis Miragaia, de plantão no Distrito Central, registrou a ocorrência como dano, resistência qualificada e morte em decorrência de oposição à intervenção policial.
O corpo do suspeito foi liberado do hospital e removido ao Posto do Instituto Médico Legal, em Mogi das Cruzes. A enxada que o criminoso utilizou ficou apreendida e foi encaminhada pela autoridade à Polícia Científica para ser submetida a exames. A pistola ponto 40, da Polícia Militar, usada em serviço pelo policial ficou apreendida e também irá passar por perícia.
A Polícia inicialmente não soube esclarecer se o autor dos crimes estaria embriagado,  agindo sob efeito de álcool ou se era possuidor de distúrbio mental, o que somente poderá ser esclarecido após a conclusão da necrópsia.
O policial militar tentou desarmar o criminoso e conforme alegou ao delegado Denis Miragaia, ele agiu em legítima defesa, retirou a arma do coldre e desferiu um único disparo.
Mesmo baleado, o autor da violência que já havia danificado um dos vidros da Base da Polícia Militar tentou escapar, correu e foi encontrado caído na rua Gastão Costa. Até o início da noite desta quinta-feira, nenhum parente do autor havia procurado a Polícia Civil.

Deixe seu comentário