CASO

Homem embriagado é preso após atropelar policial militar em Mogi das Cruzes

Após atropelar um policial militar na estrada da Boa Vista, em Biritiba Ussu, e fugir, o ajudante Paulo Sérgio Parreira, de 34 anos, foi localizado e em caminhado para a Cadeia Pública de Mogi das Cruzes, na madrugada deste domingo. O indiciado, que estava embriagado, tentava evitar ser abordado por policiais que patrulhavam a região. Já o guarda ferido foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e tem quadro clínico estável.

A equipe policial que participou da ocorrência relata que abordava um outro homem suspeito na estrada, quando notaram a aproximação de um veículo. Segundo os policiais, ao ver a equipe o motorista (Paulo) acelerou o carro e o jogou em direção aos guardas. Dois policiais e o suspeito conseguiram desviar, mas um outro policial foi atingido.

Os agentes disseram ainda que durante o ataque do motorista, ouviram disparos de arma de fogo e, por isso, um dos PMs efetuou dois disparos. O suspeito, porém, não ficou ferido. Ele fugiu do local e abandonou o veículo nas proximidades, a cerca de 500 metros. Os policiais afirmaram que encontraram realizaram uma vistoria no veículo abandonado, um Fiat Uno preto, e nada de ilícito foi encontrado.

Enquanto a equipe policial aguardava a chegada da perícia, um morador do bairro passou pelo local, disse para as autoridades que conhecia o dono do carro e deu aos policiais o endereço de Paulo, aonde ele foi encontrado posteriormente.

O indiciado foi encaminhado ao 1º Distrito Policial, onde o caso foi registrado. Ele negou ter efetivado os disparos e disse que fugiu, pois tinha ingerido bebida alcoólica e não possui carteira de habilitação, segundo o boletim de ocorrências. Teria dito ainda que não teve a intenção de atropelar o policial, e que os freios do carro não funcionaram.

No documento, a equipe que participou da abordagem destacou que não se tratou de um acidente de trânsito, já que duas viaturas estavam com os sinais luminosos ligados. A equipe aponta também que chegou a dar voz de parada ao condutor.

No 1° DP, o homem foi convidado a fazer o teste do bafômetro. O resultado apontou uma concentração de álcool de 0,83 mg/l, segundo o boletim de ocorrência. Desde 2012, qualquer concentração de álcool é considerada infração e, desde o ano passado, a punição é maior para motorista embriagado que provoca acidente, com pena de até oito anos de prisão se houver morte e até cinco anos se houver ferido grave.


Deixe seu comentário