SITUAÇÃO

Hospitais de Mogi das Cruzes são alvos de vandalismo

COMPLICADO No início desta semana, cinco monitores cardíacos foram furtados do Hospital Luzia. (Foto: arquivo)
COMPLICADO No início desta semana, cinco monitores cardíacos foram furtados do Hospital Luzia. (Foto: arquivo)

As unidades de saúde abrem as portas diariamente para receber inúmeros visitantes que vão a esses locais para realização de diversos procedimentos, como consultas e exames. Em momentos considerados, talvez, oportunos, algumas pessoas aproveitam para subtrair equipamentos utilizados nessas instalações. Em Mogi das Cruzes, por exemplo, foi registrado no início desta semana o furto de cinco monitores multiparâmetros do Hospital Luzia de Pinho Melo, com Boletim de Ocorrência no 1º Distrito Policial da cidade.

Para evitar que casos como este aconteçam na Santa Casa de Mogi, a unidade informou que possui inúmeras câmeras de monitoramento espalhadas por diversos pontos estratégicos, além de contar com seguranças que fiscalizam a entrada e saída de pacientes e visitantes. Por isso, há tempos não são registrados furtos por lá, mas as ocorrências costumam ser pontuais, quando são furtados torneiras e chuveiros, por exemplo. Nada que seja constante ou comprometa o atendimento.

Já a Secretaria Municipal de Saúde lembrou que tempos atrás, o Posto de Saúde de Nova Jundiapeba sofreu atos de vandalismo que resultaram em prejuízos materiais, mas não exatamente furtos de equipamentos, como no Luzia. Para combater situações de vandalismo, a pasta afirmou que investe em trabalhos de aproximação com a comunidade visando a conscientização sobre a importância dos equipamentos e serviços de saúde à população.

Sobre os questionamentos apontados pela reportagem, a direção do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes informa que registrou, no ano passado, o furto de três equipamentos de diagnóstico. O caso foi registrado pela Polícia Civil, responsável pela investigação dos autores.
Cabe ressaltar que, após o ocorrido, a direção da unidade de saúde intensificou os treinamentos para a equipe de vigilância, além de ampliar investimentos a fim de reforçar o sistema de segurança. Câmeras de monitoramento também foram remanejadas para aprimorar a segurança de colaboradores, pacientes e familiares, além do patrimônio da unidade. Nenhum novo caso foi registrado desde então.

Ainda no Luzia, foi apontado no inventário, em dezembro do ano passado, o furto de oito cadeiras de roda. Um outro Boletim de Ocorrência registrado pela unidade informou sobre o furto de uma maca do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que teria desaparecido dentro do próprio hospital. O equipamento foi avaliado na época em R$ 2,2 mil.