SAÚDE

Hospital de Campanha de Mogi recebe 371 pacientes em dois meses de atuação

Hospital de Campanha deve funcionar até o final de agosto, em Mogi. (Foto: Arquivo/O Diário)
Hospital de Campanha deve funcionar até o final de agosto, em Mogi. (Foto: Arquivo/O Diário)

O Hospital de Campanha de Mogi das Cruzes, erguido na avenida Cívica para atuar na retaguarda do combate à pandemia de Covid-19 na cidade, completou dois meses de funcionamento nesta sexta-feira. Até a data, a unidade havia admitido 371 pacientes, dos quais 312 tiveram alta, 29 foram transferidos após piora no quadro clínico e 30 permaneciam internados, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Os números apontam que o total de atendimentos no hospital ainda não diminuiu, porém o percentual de pacientes recuperados cresceu: em seu primeiro mês de funcionamento, a unidade assistiu 182 pacientes, enquanto nos 30 dias seguintes o número apresentou ligeira alta, de 189 novos atendimentos. O número de altas no período também cresceu, passando de 133 para 179 em cada período.

Apesar disso, a Saúde definiu novos detalhes sobre o encerramento das atividades da unidade: caso não ocorra aumento na demanda, o atendimento será encerrado no dia 31 de agosto. O contrato para o funcionamento do hospital iria até o dia 7 de agosto, mas o Comitê Gestor do Coronavírus de Mogi decidiu prorrogar até o final do mês para garantir eventuais atendimentos necessários. O valor da ampliação é de R$ 738 mil, conforme consta no Portal da Transparência.

Outros detalhes estão disponíveis no endereço http://covid.pmmc.com.br/index.php/despesa_covid/index

Por enquanto, o Hospital de Campanha continua com 50 leitos de enfermaria – para pacientes com sintomas leves e moderados da Covid-19, que serão expandidos caso haja necessidade, podendo chegar até 200. Porém, a unidade segue trabalhando abaixo desta capacidade. Segundo a Secretaria, o maior número de internações simultâneas foi 47, em 25 de junho, quando o Alto Tietê enfrenta o pico da infecção.

Questionada por O Diário, a Saúde afirmou que após o hospital ser desmontado, alguns itens da unidade serão utilizados em novas unidades que estão sendo implantadas na cidade, como a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jundiapeba, o Complexo Integrado de Atenção à Saúde (CIAS), no Rodeio e a Maternidade Municipal, em Braz Cubas. “Outros serão direcionados às unidades de origem, de onde foram remanejados temporariamente”, informou a pasta em nota.

Cidade chega a 232 mortos pela Covid-19

Mogi das Cruzes registrou ontem a morte de mais um morador pela Covid-19 e chegou aos 232 mortes pela doença, no acumulado desde o início da pandemia do novo coronavírus. Entre a tarde de sexta-feira e deste sábado, o município também somou mais 111 pacientes que testaram positivo para a doença. No total eles já são 3.599, dos quais 2.136 receberam alta médica por estarem curado da Covid-19.

Desde que confirmou o primeiro caso, ainda no mês de março, Mogi alcançou ontem 18.248 notificações do novo coronavírus, das quais 11.482 foram descartadas, em 1.901 ainda falta o resultado do exame, além de 1.266 pessoas que não foram testadas por apresentar apenas os sintomas leves da doença, sem a síndrome respiratória aguda grave.

Segundo os dados da Secretaria de Estado de Saúde, ontem o Estado de São Paulo registrava 21.517 óbitos e 479.481 casos confirmados do novo coronavírus. Entre o total de casos diagnosticados de Covid-19, 319.848 pessoas estão recuperadas, sendo que 63.677 foram internadas e tiveram alta hospitalar.


Deixe seu comentário