Idoso terá Centro de Fisioterapia

Prefeito Bertaiolli vistoria obra de unidade orçada em R$ 4,2 milhões / Foto: Edson Martins
Prefeito Bertaiolli vistoria obra de unidade orçada em R$ 4,2 milhões / Foto: Edson Martins

Uma terça parte da demanda mensal de três mil pacientes da rede pública que precisam de fisioterapia e reabilitação motora será encaminhada, no futuro próximo, ao Centro Especializado Dr. Aristides Cunha Filho, em construção ao lado do Hospital Municipal Prefeito Waldemar Costa Filho, no Distrito de Braz Cubas, e com previsão de entrega em setembro. Os serviços de construção da clínica de dois pavimentos permaneceram paralisados durante um ano, após problemas com a primeira empresa contratada, Teto, e foram retomados pela Construtora Fasul, a mesma que executa projetos como o do Fórum de Braz Cubas.

Planejado durante a construção do Hospital Municipal, o Centro de Reabilitação e Fisioterapia custa R$ 4,2 milhões, terá capacidade para atender mil pacientes por mês, preferencialmente, com mais de 60 anos. Segue a linha dos prédios criados de forma a valorizar a humanização e a acessibilidade. O edifício de dois mil m² de área construída é encorpado por ambientes integrados, onde funcionarão consultórios médicos, de enfermagem e de atendimento mutiprofissional (fisioterapia, nutrição, psicologia), salas para oficinas terapêuticas, cinesioterapia e eletroterapia, além de uma piscina, com 20 metros, e uma academia. 70% do projeto foram concluídos.

Uma rampa lateral e pouco acentuada interliga a recepção, no primeiro pavimento, ao solarium, idêntico ao existente no Hospital Municipal, que fica quase de “parede e meia”. Do terraço tem-se a vista de 380 graus da Mogi das Cruzes onde o cinza predomina, principalmente ao redor do prédio. Quando se mira ao norte, o chumbo começa a ser aplacado a partir do vale do Rio Tietê, entrecortado pela linha férrea [e, daqui a pouco, pela Avenida Guilherme Giorgi], entre Braz Cubas e Jundiapeba e, mais ao longe, vigora o paredão verde mais consistente da Serra do Itapeti. Bem mais perto disso, a visão constata a harmonia das linhas arquitetônicas e das cores escolhidas para os dois prédios, construídos em um terreno contíguo. No futuro, se houver interesse do poder público, as estruturas poderão ser interligadas.

Uma visita à obra marcou a retomada oficial dos serviços, ontem. Alguns homens trabalhavam no térreo e terraço. O prefeito Marco Bertaiolli (PSD) pretende inaugurá-la antes do fim do atual mandato, junto com outras 19, em andamento na atualidade (veja retranca). “Agora, com a Fasul, que está executando outros serviços, conseguiremos concluir o primeiro serviço público destinado a quem tem mais de 60 anos”, disse. O engenheiro Roberto Müller, da construtora, previu o término até setembro. (Eliane José)

Leia a matéria completa na edição impressa


Deixe seu comentário