CARTAS

Igreja e esquerda

Gostaria de expor minha “indignação” com o debate sobre o papel da Igreja na política de hoje.

Me causa certa estranha a Pastoral de Fé e Compromisso Social da Diocese de Mogi das Cruzes convidar somente pessoas vinculadas a partidos de “esquerda” – apesar que houve um convidado do PV – para debater algo tão importante.

Como o Estado é laico, a Igreja também precisa ser “neutra” sobre política. A igreja não precisa que políticos nos digam o que deve ser feito ou não. Principalmente quando alguns convidados representam ou representaram partidos envolvidos em casos de corrupção e tantos outros crimes.

A Igreja está se contrapondo com o que prega: contra o aborto, a liberação do uso de drogas, etc. E convida representantes de partidos que defendem justamente ao contrário. Será que foi perguntado no debate, o que eles acham sobre a condenação em segunda instância? Se são a favor ou não?

Um debate para ser saudável e engrandecedor tem que ser plural, mas me parece que algumas pessoas de dentro da Igreja se acham mais do que outras. Isso é o reflexo de uma instituição que vem deixando de lado, seu maior interesse (pregar o que Cristo nos ensinou) por outros interesses não tão legais.

Cresci na Igreja Católica, mas tenho me decepcionado muito com a postura de alguns líderes.

Agradeço a Deus, pelas provações do dia a dia, e por ter me dado a oportunidade de conhecer seu amor, seus valores e sua integridade.

Caio Wilmers Manço

caiomanco@hotmail.com


Deixe seu comentário