OCORRÊNCIA

Incêndio atinge casa no Centro de Mogi das Cruzes

Bombeiros foram mobilizados para conter o incêndio em uma casa
no centro, domingo à noite, com apoio da escada magirus. (Foto: divulgação – Bruno Rocha)

Na noite do último domingo, um incêndio em um imóvel no centro mobilizou uma grande equipe do 17º Grupamento de Bombeiros de Mogi das Cruzes. O fogo foi registrado em uma casa na rua Senador Dantas que faz fundos com um supermercado localizado na rua Coronel Cardoso Siqueira e para contenção houve necessidade de utilização do equipamento com a escada magirus. O controle das chamas foi feito e o incidente não deixou vítimas.

Por volta das 20 horas, a corporação foi acionada, quando acontecia uma celebração na Catedral de Santana. “Eu estava na missa e de lá dava para ouvir o barulho de muitas sirenes. Quando fui embora, passei pelo 1º de Setembro (rua Cardoso de Siqueira), por volta das 20h45, e ainda tinha muita fumaça, mas o fogo já estava contido. Os bombeiros chegaram a arrombar uma porta do mercado, acho que pensaram que o fogo tinha começado ali ou estavam com medo que ele entrasse lá, porque seria muito pior. Por isso também a magirus foi usada. Dava para subir e ver melhor”, disse Eduardo dos Santos, proprietário de uma banca no Parque Monte Líbano.

As causas do incêndio ainda estão sendo levantadas.

APOIO Escada magirus veio a Mogi após campanha de O Diário. (Foto: arquivo)

Magirus

O veículo chegou à cidade em 2001, após campanha feita por O Diário, que publicou inúmeras matérias referentes ao assunto. O ex-deputado estadual Luiz Carlos Gondim (PTB) disse que chegou a entrar em contato com um membro do Batalhão para perguntar sobre a magirus. Ele teria sido informado, então, que o pistão necessário para levantar a escada estaria quebrado. Para que ele fosse consertado, uma licitação teria de ser aberta, devido ao alto valor do equipamento.

O político – que já era deputado – levou o assunto para a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). No dia 3 de outubro daquele mesmo ano, o veículo chegou à Cidade. Cedida pelo Estado, a magirus precisava de manutenção e de um computador de bordo, que custava US$ 20 mil, o equivalente a cerca de R$ 54 mil. No total, eram precisos quase R$ 70 mil. Para arrecadar a quantia necessária, foi lançada uma campanha. O próprio Gondim chegou a doar R$ 1 mil.

Deixe seu comentário