INFORMAÇÃO

Indefinição marca corrida situacionista à Prefeitura

Costa Neto age como bombeiro para buscar a unidade do grupo

A exatos sete meses das próximas eleições, persiste a indefinição entre os integrantes do grupo situacionista local, que enfrenta forte divisão provocada pelo distanciamento entre o deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) e o atual prefeito Marcus Melo (PSDB). Até agora, o que se tem de concreto é o fato de Melo ter se lançado como pré-candidato à reeleição, enquanto Bertaiolli anunciou convite ao empresário Henrique Borenstein para ser o candidato a prefeito pelo PSD. De fora, agindo como bombeiro e buscando a unidade entre os integrantes do antigo grupo político, está o ex-deputado federal e manda-chuva do PL, Valdemar Costa Neto. Em recentes reuniões, ele tem procurado mostrar aos beligerantes que tal distanciamento só acaba por beneficiar a oposição, num típico jogo de “perde-perde”, onde só quem pode tirar proveito são os adversários. Afinal, por mais que Melo tenha se mostrado bom articulador e auto-suficiente para conduzir sua campanha até aqui, com apoio de vereadores, resta saber como ele irá se sair em sua primeira incursão eleitoral, sem Bertaiolli. Este, por sua vez, vive o dilema de ter de se reatar politicamente com seu antigo pupilo, hoje desgarrado; ou lançar uma segunda via do mesmo grupo, tendo de explicar ao eleitor por que não está ao lado de Melo, para quem pediu apoio no pleito passado. Ou, mais que isso: interromper uma carreira em ascensão, em Brasília, e retornar à cidade para ser novamente o candidato a prefeito. E é diante desse quadro que Costa Neto se esforça para contornar tantos problemas. Bom articulador ele é, sem dúvida. Mas até agora, pouco conseguiu. Amanhã abre-se o período para trocas de partidos e o grupo deveria estar articulando a montagem das chapas de candidatos a vereador. A situação, porém, começa a se ver numa luta contra o tempo, que passa a ficar cada vez mais escasso em relação ao primeiro turno das eleições.

Trem-bala

O Trem de Alta Velocidade (TAV) entre São Paulo e Rio continua servindo como chamariz eleitoral para muita gente. Depois de prometido – e não executado – pelos governos de Lula e Dilma, do PT, o trem-bala agora é promessa do governador Wilson Witzel (PSC), do Rio, que aspira disputar a presidência da República. Ele promete retomar a ligação ferroviária ao lado do governador paulista e também presidenciável, João Doria (PSDB). A conferir.

Candidaturas

O vereador Caio Cunha, que troca o PV pelo Podemos nesta sexta-feira, quando lança sua candidatura a prefeito de Mogi, negou os rumores que circulam nos meios políticos, segundo os quais, iria lançar sua mulher e seu pai como candidatos a vereador nas próximas eleições. Mas ressalva: “Só não lanço minha esposa porque ela não quer; pois ela é muito melhor do que eu”, diz.

Obras

A Construtora WZU Ltda foi a veneedora da concorrência para reformar as unidades básicas de saúde da Vila Natal, Vila Suíssa e Vila da Prata. As obras irão custar R$ 1.115.187,96 e deverão ser iniciadas ainda neste mês.

Fake news

A Polícia Civil de Suzano está investigando uma denúncia de notícias falsas envolvendo o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL), o presidente da Associação de Corretores de Suzano, Admilson Alves Bernardes e ainda André Carnevale. As mensagens com acusações ao prefeito e envolvendo os outros dois foram postadas num aplicativo de mensagens por um desconhecido. Os três registraram boletim de ocorrência na Delegacia Central da cidade.

Frase

O vice-governador se mostrou sensível à causa dos mogianos e de todo o Alto Tietê e já comunicou à Artesp a inviabilidade da proposta de pedágio no Km 45 da Mogi-Dutra.

Deputado Marco Bertaiolli, em entrevista a este jornal, após reunião com Rodrigo Garcia


Deixe seu comentário