PESQUISA

Indústria do Alto Tietê fecha mais 50 postos de trabalho em agosto

Indústrias do Alto Tietê acumulam saldo positivo no nível de emprego. (Foto: arquivo)(
Indústrias do Alto Tietê acumulam saldo positivo no nível de emprego. (Foto: arquivo)

De janeiro a agosto, apesar das demissões, as indústrias do Alto Tietê acumulam saldo positivo no nível de emprego. O setor da região demitiu 900 trabalhadores, mas gerou 1.100 postos de trabalho – variação de 0,33% -, o que representa 200 vagas. A pesquisa divulgada ontem pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) mostra que o mês de agosto foi fechado com 50 postos a menos, variação de -0,07%. O resultado ficou praticamente estável em comparação com os dados de julho.

No mês de agosto último, o Alto Tietê ficou na 10ª colocação no ranking das 36 regiões industriais paulistas. Desse total, apenas quatro tiveram variação positiva, oito estáveis – caso da região – e 24 apresentaram índice negativo. A média do Estado foi de -0,23%.

O Alto Tietê é o oitavo na classificação, que tem ainda Sertãozinho (7,68%), Botucatu (4,65%), Ribeirão Preto (4,39%), Araraquara (2,13%), Indaiatuba (1,21%), Franca (0,63%), Guarulhos (0,53%) e, por último, Diadema (0,19). O saldo do Estado no ano é de -0,25% empregos.

No ano, há um acumulado de 0,33%, representando aumento de 200 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -0,97%, significando queda de 600 postos de trabalho.

“Estamos longe ainda de uma situação confortável, mas o Alto Tietê continua sendo beneficiado pela sua diversidade industrial, com um setor compensando o outro. Não fosse isso, o quadro regional seria muito pior”, constata José Francisco Caseiro, diretor do Ciesp Alto Tietê.

Segundo ele, as expectativas de recuperação da economia são melhores para esse último quadrimestre e isso deve contribuir para evolução no nível de emprego industrial ou, pelo menos, para sua estabilidade. “Tivemos notícias de demissões em indústrias importantes da Região que devem impactar os resultados de setembro, mas temos de aguardar o desempenho dos outros setores. A expectativa é manter um mínimo de estabilidade diante da projeção de crescimento de 1% da economia nacional e do avanço das reformas previdenciária e tributária”, avalia o dirigente Caseiro.

O desempenho no nível de emprego industrial na Diretoria Regional do Ciesp no Alto Tietê tem sido influenciado principalmente pelo desempenho positivo dos setores de produtos alimentícios; bebidas; celulose, papel e produtos de papel; e móveis.

Especificamente em agosto deste ano, as variações positivas dos setores de produtos químicos (1,42%) e produtos alimentícios (0,75%) influenciaram positivamente o cálculo do indicador.

Deixe seu comentário