Alto Tietê teve com postos de trabalho

Indústrias da Região voltam a contratar

Indústria retoma o ciclo de admissões e reforça a expectativa do setor para o ano que vem



Foto Arquivo
Indústria retoma o ciclo de admissões e reforça a expectativa do setor para o ano que vem

Indústrias da Região voltam a contratar A indústria do Alto Tietê retomou as contratações em outubro, após uma pausa de dois meses. Pesquisa divulgada
ontem Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) aponta uma variação de 0,45% no nível de emprego industrial na Região, o que significa
a abertura de 300 postos de trabalho no último mês, distribuídas nas empresas instaladas em Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guara, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.

Com esse resultado, a Região passou a ter o melhor desempenho do Estado de São Paulo no ano de 2018. O Alto Tietê ocupa agora o primeiro
lugar no ranking das 36 regiões industriais do Estado, com uma evolução de 6,57% no nível de emprego, o que representa 4 mil postos de trabalho. A segunda
colocada no ranking anual, é Sertãozinho, com aumento de 4,73%. “Isso é bastante significativo, principalmente se levarmos em conta o desempenho
do Estado no ano, que é de 0,54%. Ou seja, a indústria do Alto Tietê tem conseguido uma recuperação mais rápida em relação a outras regiões, o que é fruto principalmente do empenho, investimento e superação das nossas empresas e também da diversificação de setores nas cerca de 2 mil indústrias que temos instaladas
na Região”, analisa José Francisco Caseiro, diretor do Cies Alto Tietê.

No mês de outubro, pontualmente, o desempenho da Região foi influenciado pelas variações positivas de Produtos de Minerais Não Metálicos (2,61%); Produtos Têxteis (2,26%); Produtos de Borracha e de Material Plástico (0,36%) e Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (0,97%). “Nós tivemos os meses de agosto e setembro sem contratações e, outubro, até por conta da produção de final de ano, retomou o ciclo de admissões que a Região vinha registrando. Isso reforça a expectativa de que 2019 deve ser um ano melhor para a indústria, o que requer também que o Governo adote as medidas que vem prometendo”, ressalta o diretor do Ciesp Alto Tietê.