CARTAS

Insegurança no trânsito

Percorrendo ruas da cidade é possível notar que o poder público municipal não está preocupado com os riscos de acidentes no trânsito, contrariando suas próprias campanhas de prevenção e conscientização, feitas de tempos em tempos. São inúmeras as irregularidades verificadas, como, por exemplo, ausência de sinalização vertical de parada obrigatória em cruzamentos, placas sujas e/ou desbotadas dificultando a visualização, outras encobertas por galhos e folhagens, sinalizações de solo apagadas, lombadas com pintura desgastada, etc. Quanto às lombadas, é importante lembrar que todas, sem exceção, devem conter faixas oblíquas, pintadas na cor amarela, de acordo com o artigo 6º – inciso IV da Resolução nº 600 do Contran, de 24/05/2016. E o artigo 8º dessa mesma Resolução determina o seguinte: “Deve ser realizada manutenção permanente da sinalização prevista nos artigos 6º e 7º, para garantir a sua visibilidade diurna e noturna.” Em Mogi das Cruzes, muitas são as ondulações transversais que não estão recebendo essa manutenção obrigatória, pondo em risco a circulação de veículos e pedestres. Por falta de espaço, cito apenas algumas vias que têm, em seu leito carroçável, lombadas em desacordo com a referida resolução do Contran: Av. Yoshiteru Onishi (Mogilar), Av. Cavalheiro Nami Jafet (Vl. Industrial), Av. Miguel Gemma (Socorro), Av. Laurinda Cardoso Mello Freire (Vl. Oliveira), Av. Francisco Assis M. Castro (Vl. Oliveira), Rua Jair Salvarani (Vl. Oliveira), etc. O trânsito só vai melhorar e oferecer mais segurança se todos colaborarem, inclusive o poder público, que precisa dar o exemplo.

Paulo Sergio da Silva Pimentel

paulospimentel@yahoo.com.br