SOCIAL

Instituto Pró+Vida, em Mogi, atende idosos há 42 anos

FUTURO Fundado pelo padre Vicente Morlini, o Instituto Pró+Vida pretende lançar um novo projeto para ampliar leitos para idosos. (Foto: arquivo)
FUTURO Fundado pelo padre Vicente Morlini, o Instituto Pró+Vida pretende lançar um novo projeto para ampliar leitos para idosos. (Foto: arquivo)

A Fundação Instituto Pró+Vida São Sebastião completa amanhã 42 anos de fundação. A data será comemorada com a realização de uma missa de ação de graças hoje, às 10 horas, na igreja São Sebastião, no próprio bairro. Amanhã acontecerá um almoço especial na sede da instituição para festejar o aniversário com os acolhidos, conselheiros e apoiadores do projeto, que oferece assistência e promove um resgate da cidadania dos idosos.

Neste ano, a comemoração será especial, porque além do aniversário, o Instituto está festejando o bom resultado da campanha de arrecadação realizada há cerca de três meses para salvar a instituição de uma crise, há muito tempo não vista. O Pró+Vida teve uma queda tão acentuada nas doações, que precisou mobilizar a cidade para conseguir a manter estoque de mantimentos, produtos de limpeza, higiene, mas principalmente fraldas geriátricas.

“Felizmente tudo voltou ao normal”, destaca Danielle Tavares, a assessora social do Pró+Vida. O resultado positivo reacendeu o ânimo da direção, que a partir de agora vai concentrar esforços para implementar o plano de ampliação e melhorias na sede. Em novembro está programado um jantar para o lançamento oficial do projeto “Reforma da Cozinha”. Já na próxima semana serão iniciados os contatos com patrocinadores para conseguir arrecadar R$ 83 mil que serão usados para reformar, comprar novos equipamentos e promover adequações exigidas pela Vigilância Sanitária.

Cristiane de Melo, do Conselho Administrativo da entidade, explica que existe ainda um outro plano em fase de elaboração relacionado a reforma e melhorias da Unidade Prestadora de Serviço (UPS) Espaço Pró+Vida, que fica instalada em um anexo, com acesso pela Rua Artur dos Santos. Esse projeto está orçado em R$ 1 milhão e deve ser lançado apenas em 2020. A intenção é modernizar essa ala, abrir mais oito leitos, adequar a cozinha e o refeitório maior, e construir área de convivência, espaço ecumênico, entre outras melhorias.

Atualmente são atendidos no local 22 idosos acamados e cadeirantes.

O espaço abriga mais 24 idosos autossuficiente na UPS Estância Para Idosos. Eles são mantidos em 12 casas individuais, com dois dormitórios, sala de estar e um banheiro adaptado. Então são dois idosos, sempre do mesmo sexo, em cada casa.

A sede do Instituto conta ainda com salas de convivência, refeitório, lavanderia, enfermagem salão de festa, setor administrativo, um amplo espaço para circulação dos idosos no local. O atendimento aos 46 idosos é feito com a ajuda de 85 colaboradores, sendo 40 deles da equipe técnica.

A assessora social do Pró+Vida, Danielle Tavares, explica que a maioria dos idosos não tem família e uma das preocupações do instituto é oferecer qualidade de vida em um espaço onde eles possam se sentir em casa, animados e vontade viver. “É uma grande família. Os idosos criam vínculos com funcionários, voluntários, recebem, visitas aos finais de semana de pessoas que trazem vida e esperança para eles. Nossa principal preocupação é com bem-estar deles, garantir dignidade e dar alegria a eles. Estamos conseguindo manter vivo o ideal que o padre Vicente Morlini construiu durante todos esses anos”, enfatiza.

A instituição recebe repasses de verbas dos governos municipal, estadual e federal para manter o atendimento em Mogi. Conta ainda com 70% das aposentadorias dos idosos acolhidos, além dos recursos de campanhas e de eventos com o Festa do Divino, Expo Mogi, entre outros.

Padre e amigos fundaram a unidade

O padre Vicente Morlini, 91 anos, idealizador da Fundação Instituto Pró+Vida, se manteve à frente da instituição durante esses 42 anos de atividades no município. Ele está sendo esperado para comemorar com os idosos o aniversário da instituição. Há alguns dias, o religioso teve complicações de saúde a partir de uma pneumonia e precisou ser internado em São Paulo para tomar as medicações e se recuperar a tempo de participar da missa, hoje, e do almoço especial programado para amanhã, na sede da entidade.

O religioso fundou o Instituto em 1977, época em que atuava como pároco da igreja matriz e queria encontrar uma maneira de ajudar as pessoas em situação de rua. Uniu forças com outras sete pessoas da comunidade para colocar a ideia em prática. O grupo era formado por Luiz Beraldo de Miranda, Jurema Valiengo, Mauro Mourão, Ermelinda Além, Arlete Ribeiro, João Araujo e José Machado e Luiz Beraldo de Miranda. Os três últimos já falecidos

Com ajuda da comunidade, conseguiu montar o primeiro bazar o Pró+Vida, na Rua Professor Flaviano de Melo. Fez campanha, promoveu eventos até com seguir os recursos para adquirir os lotes no Jardim Ivete, onde construiu um barracão para começar o atendimento e oferecer abrigo idosos carentes.

O bazar foi transferido para a Senador Dantas, onde funciona até hoje. A sede do São Sebastião cresceu e se estruturou. Hoje, a Fundação atende mais de 100 idosos diretamente em suas três unidades. A sede em Mogi mantém 46 idosos. Caraguatatuba abriga 36 idosos; outros 26 estão acolhidos em São Paulo. Atende ainda mais de 600 idosos em outros projetos como o Serviço de Proteção Social Básica no Domicílio Para Idosos, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Pessoas Idosos e Centro de Convivência do Idoso.

Deixe seu comentário