INFORMAÇÃO

Jurandyr e a imagem de 1 milhão de dólares

LEGENDA (Diego Barbieri/CMMC- Divulgação)

NA CÂMARA A última solenidade pública de Jurandyr foi na Câmara da Mogi, em setembro, depois de receber, em agosto, a cidadania mogiana

Para impedir a venda  no mercado negro, ele supervalorizou a obra

O furto de uma imagem original de Nossa Senhora da Ajuda, do interior de sua igreja, na cidade de Guararema, movimentava o noticiário do Alto Tietê naquele final de 1989 e início de 1990. De grande valor histórico por haver sido produzida por antigos santeiros que habitavam sedes de congregações religiosas localizadas na região da Serra do Itapeti, a imagem desaparecida provocava as mais diferentes reações entre os católicos, que chegaram a promover vigílias de oração pelo retorno da santa. O professor e historiador Jurandyr Ferraz de Campos, uma das poucas autoridades em imagens sacras da região foi entrevistado pelo Estadão para avaliar a perda da arte sacra regional com o desaparecimento da imagem e não deixou por menos. Indagado quanto deveria valer a imagem furtada, ele calculou que ela valesse, àquela época, algo em torno de US$ 1 milhão. Isso mesmo: um milhão de dólares americanos. Estava armada a cilada para os responsáveis pelo furto da santa da Ajuda. Com a divulgação na imprensa da Capital que a santa tinha aquele valor, a negociação do produto do furto no mercado negro ficou muito mais difícil, pois despertou a atenção de muita gente. E receptadores desse tipo de arte sacra passaram a evitar a qualquer custo uma possível negociação com os ladrões, tal a repercussão que o fato alcançou em todo o País. Passaram-se alguns dias e policiais do Garra de Mogi acabaram por encontrar a imagem, com algumas partes quebradas, no interior de uma oficina mecânica do município de Suzano, na primeira semana do mês de janeiro de 1990. Depois de enviada para ser restaurada, a imagem voltou, em meio a festas e orações a ocupar o lugar de destaque no altar principal de sua antiga igreja, em Guararema. Sempre que se lembrava da história, Jurandyr dava boas risadas por ter conseguido impedir a venda da santa da Ajuda para o mercado negro de arte sacra. Mas quanto realmente valia a obra inicialmente cotada em US$ 1 milhão? Por via das dúvidas, Jurandyr sempre desconversava quando indagado sobre isso. O valor real da imagem tornou-se um segredo que ele levou consigo até sua morte, na madrugada de ontem, em São Paulo.

Leandro vem aí

Mesmo enfrentando sérios problemas em razão do incêndio que atingiu parcialmente o seu barracão, onde aconteciam os preparativos para o carnaval do próximo ano, a direção da Escola de Samba Leandro de Itaquera confirmou a presença da bateria e do pavilhão da agremiação, amanhã, a partir das 19 horas, na quadra da Acadêmicos do São João, em Mogi. Com a convidada especial, a escola mogiana irá promover o seu Ensaio Geral, já se preparando para a festa do próximo ano na cidade. A noite promete combos de espetinhos e cerveja. O ingresso vai custar R$ 5,00 e dá direito a um espeto.

Na Catedral

Restaurar os antigos vitrais, acabar com infiltrações na estrutura e substituir os atuais portões dianteiros da Catedral são as principais metas a serem alcançadas com recursos da festa de Santana do próximo ano, cujo lançamento será antecipado para a segunda quinzena do próximo mês. Segundo o padre Claudio Antonio Delfino, o Comphap deverá ser acionado para autorizar a substituição dos portões, que um arquiteto cuidará de ajustar ao perfil arquitetônico da igreja.

Exemplo”

Hoje é um dia muito triste. Perdemos nosso maior líder, referência para toda uma geração. O Brasil fica mais pobre, sem uma das lideranças mais expressivas e mais marcantes para todos nós. Ele foi um grande exemplo para o País e para todos nós, funcionários. Seu legado jamais será esquecido”. Comentário de Elton Costa, ex-gerente do Prime mogiano, a propósito do falecimento de Lazaro de Mello Brandão, ex-presidente do Bradesco, aos 93 anos.

Na telona

Mogi deverá estar presente no filme que irá retratar a vida de um dos mais importantes desenhistas do Brasil, Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica e tantos outros personagens que fazem a alegria de crianças e adultos. O diretor Pedro Vasconcelos, responsável pelo argumento e roteiro, já iniciou os primeiros estudos para a gravação, que terá como base o livro “Mauricio – A história que não está no gibi”. O longa metragem de ficção em live-action vai revelar detalhes desde a infância até a criação da Mauricio de Sousa Produções. A produção será de Tuinho Schwartz.

Frase

Quero viver cada dia com um sonho para realizar.

Mauricio Araújo de Sousa, 83 anos, é cartunista, empresário e escritor brasileiro

Deixe seu comentário