IMPRESSÕES

Ka Freestyle é opção de compacto que garante a diversão

O Ka Freestyle vem equipado com motor 1.5 litro tricilíndrico que rende até 136 cv de potência (Foto Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Quando lançou no Brasil a linha 2019 do Ka, no final de julho, o objetivo da Ford era ganhar competitividade entre os compactos mais equipados. Segundo a marca, o Ka vendia bem na faixa abaixo dos R$ 50 mil – desempenho que lhe garante a posição de terceiro carro mais vendido do país. Mas, acima desse valor, os concorrentes Chevrolet Onix e Hyundai HB20 levavam vantagem. Além de um discreto “face-lift”, uma peça chave na estratégia da Ford foi a oferta de um inédito câmbio automático e também a adoção de uma nova transmissão manual. De quebra, lançou a versão aventureira Freestyle, com suspensão levantada, adereços “off-road” e um pacote de equipamentos mais abrangente.
Na linha 2019, além do já conhecido motor 1.0 com três cilindros e 85 cavalos, o Ford Ka incorporou nas versões mais caras o motor 1.5 Dragon, de três cilindros, o mesmo apresentado no EcoSport em julho de 2017, com uma sutil redução na potência: são 136/128 cavalos ante 137/130 cavalos no EcoSport. Ainda assim, uma potência 20% superior à do antigo 1.5 Sigma de quatro cilindros, que entregava 110 cavalos. O torque chegou a 16,1 kgfm com etanol ou 15,3 kgfm com gasolina a 4.750 rpm e também superam os 14,9/14,3 kgfm a 4.250 rpm do antigo quatro cilindros. O inédito câmbio automático de seis marchas não é a única opção; o compacto ganhou também uma nova transmissão manual.
Pela “receita”, já dá para imaginar que o Ka avaliado reúne todos os elementos para ser a opção mais divertida do compacto da Ford. E é mesmo! Não é preciso muito tempo para perceber que o motor dá e sobra para mover o Ka FreeStyle com exuberância e reações quase instantâneas às acelerações, com um ganho de velocidade vigoroso e progressivo. Assim, as ultrapassagens se tornam sempre fáceis e confiáveis. A boa performance é estimulada pelo novo câmbio manual, que mostra-se bastante suave. Os engates são precisos, as mudanças não emitem ruídos e as passagens são efetuadas com elegância.

Versão Freestyle do Ford Ka custa R$ 63,5 mil, com câmbio manual, mas é bem equipada (Foto Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Na versão “crossover” de seu compacto, a Ford reforçou a suspensão para suportar as exigências do novo motor e ainda enfrentar pisos acidentados. Ampliou a altura de rodagem até atingir 18,8 centímetros, apenas 1,2 cm a menos que o EcoSport. Amortecedores foram recalibrados, o eixo traseiro está 30% mais rígido e as bitolas (distâncias entre as rodas no eixo) ficaram três centímetros mais largas. O comportamento em curvas de alta é bem consistente e transmite confiabilidade, que é reforçada por outra novidade da versão: o ARP (Active Rollover Protection). Integrado aos controles de tração e de estabilidade, o sistema atua nos freios e na aceleração caso haja sinais de iminência de capotamento.
No visual, a grade dianteira com losangos, o rack de teto e as molduras em plástico preto que contornam toda a carroceria cumprem a função de dar um aspecto inegavelmente mais robusto ao modelo. A versão FreeStyle adota rodas e pneus de perfil maior (185/60 R15), os mesmos da antiga versão Trail, que deixou ser oferecida. Em termos de segurança, o Ka “vestido para a trilha” é bem dotado: vem com seis airbags, controle de estabilidade e tração, sistema anticapotamento, assistente de partida em rampa, camera e sensores traseiros, direção elétrica progressiva com sistema que reduz a transferência de torque para o volante e controla desvios provocados por desníveis no piso. No segmento de compactos, é um pacote difícil de ser batido.

Por tudo o que traz e, principalmente pela motorização, versão é a mais divertida do Ford Ka (Foto Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

O interior tem um acabamento esmerado, com revestimento e texturas que criam um ambiente agradável. Para enfrentar melhor a concorrência entre os compactos mais equipados, a versão ganhou até vidros dianteiros acústicos para fazer com que os ruídos externos entrem mais comedidamente no habitáculo. No painel, se destaca a central multimídia de terceira geração Sync 3, monitorada por uma tela sensível ao toque que se projeta no console central. O posicionamento da central é correto e tudo é bem funcional. Tem recursos de comandos de voz e conexão com Android Auto e Apple CarPlay e permite até o uso de Waze com iPhone.

Interior do Freestyle mostra acabamento esmerado e central multimídia completa (Foto Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

O painel e o console alternam tons de preto e marrom e os bancos têm revestimento combinando couro e tecido, nos mesmos tons. O volante multifuncional tem boa “pegada” e ainda possibilita comandar a central multimídia e o controle de cruzeiro. Um aspecto que deixa a desejar na usabilidade do Ka é o porta-malas, que leva apenas 257 litros.
O preço de R$ 63.490, embora esteja longe de fazer do Ka Freestyle manual um automóvel barato, deve incomodar os concorrentes diretos com configurações semelhantes, como as versões manuais do Hyundai HB20X (R$ 63.100) e do Chevrolet Onix Activ (R$ 63.090), na briga dos “pequenos aventureiros”. (Luiz Humberto Pereira/AutoMotrix)

Ficha técnica
Ford Ka FreeStyle manual

(Foto Luiza Kreitlon/AutoMotrix)

Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.497 cm³, três cilindros em linha, duplo comando variável na admissão e no escape no cabeçote e quatro válvulas por cilindro. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Transmissão: Câmbio manual de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira e controle eletrônico de tração.
Potência: 128/136 cavalos com gasolina/etanol a 6.500 giros.
Torque: 15,6/16,1 kgfm a gasolina/etanol a 4.750 mil giros.
Diâmetro e curso: 84 mm X 90 mm. Taxa de compressão: 12:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira semi-independente por eixo de torção, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos. Controle de estabilidade de série.
Pneus: 185/65 R15.
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. ABS com EBD com assistência de frenagem e de partida em rampa.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,89 metros de comprimento, 1,70 m de largura, 1,57 m de altura e 2,49 m de entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina de série.
Peso: 1.080 kg.
Capacidade do porta-malas: 257 litros.
Tanque de combustível: 51,6 litros.
Produção: Camaçari, na Bahia.
Lançamento no Brasil: julho de 2018.
Itens de série: Ar-condicionado, direção elétrica, vidros e travas elétricas com controle remoto, chave canivete, airbags frontais, laterais e de cortina, freios ABS com EBD, abertura elétrica do porta-malas, ajuste de altura da coluna de direção, sistema multimídia Sync 3 com comando de voz e conexão Bluetooth, tela flutuante de alta resolução com 8 polegadas, rodas de liga leve com 15 polegadas, pneus de uso misto, faróis de neblina dianteiros, controle de estabilidade e tração, auxílio de partida em rampa, banco parcialmente revestidos em couro, rack no teto, sensor de estacionamento traseiro e câmara de ré.
Preços: R$ 63.490.