ARTIGO

Lacto Purga e Purgo Leite

Perseu Gentil Negrão

Nasci e fui criado em Itápolis, uma pequena cidade do interior paulista. Como ocorre nas pequenas cidades, todos se conheciam, mas havia alguns que eram mais populares. Dentre eles cito o “Zé do Pelo”, que é um homem simples, mas muito inteligente. Boa prosa, gozador, ótimo churrasqueiro para festas de casamentos. O “Zé do Pelo” tem sacadas geniais. Dentre elas, criou uma lista do “time dos chatos”, que denominou “Lacto Purga” (a expressão purgante era usada para denominar o chato). Com o tempo a lista cresceu e o Zé criou um segundo time: “Purgo Leite”. As pessoas que ele considerava mais insuportáveis eram “convocadas” para as seleções. A lista tornou-se conhecida e o “Zé do Pelo” passou a ser temido e respeitado.

Essa semana vi uma montagem fotográfica chamada a “Corrida dos Mais Chatos”. Na foto, há carrinhos de Fórmula 1, com os chatos: “Petista”, “Bolsominio”, etc. Quem criou a montagem foi tão genial como o velho “Zé do Pelo”.

Em destaque o primeiro carrinho está marcado: “Petista”. Esse é o “chato de galocha”. Não admite, jamais, os erros de sua seita (partido). É evidente que grande parte das mazelas do Brasil decorre dos desmandos dos quase 16 anos de trevas do PT no poder.

O segundo carrinho, “Bolsominio”. O erro da montagem é que o carrinho do “Bolsominio” deveria estar roda a roda com o “Petista”, pois também não admite os erros do seu “Mito” e de seus filhos problemáticos (que são muitos). Falei: “E daí?”. Depois a corrida mostra outros inúmeros chatos: socialista de I-Phone – os pais dão um duro danado e o “comuninha”, com roupas de grife, defende um regime que não deu certo em nenhum lugar do mundo; “direita nutella” (parceiro do “bolsominio”); “coach”, que vive dando conselhos; o “coach” lembra muito o antigo vidente (se fosse bom compraria bilhete a ser premiado na loteria). Paro por aqui, para não entrar na lista do “Lacto Purga”.

Meu grande lamento é que esses chatos “de carteirinha”, estão vencendo o isolamento, com o “Messenger” e o “WhatsApp”. Já comecei o processo de bloqueio. Só nessa semana foram 3. Cuidado, você pode entrar na minha lista e ser bloqueado ou, até mesmo, citado em futura publicação.

Perseu Gentil Negrão é procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo


Deixe seu comentário