EDITORIAL

Legislando pelo individual

Mogi das Cruzes tem muitos problemas, questões que dizem respeito, especificamente, ao bem-estar de sua gente. Para cuidar disso, foram eleitos os vereadores que hoje ocupam lugar na Câmara Municipal.

Questões como o descuido do atual concessionário, com a manutenção e melhoria do Terminal Rodoviário. Há dificuldades na área de segurança pública, como no entorno da Rua Narciso Lucarini, a cerca de 200 metros do prédio da Câmara. Neste ponto, o mercado de drogas corre livre durante a madrugada, conforme denunciado por este jornal, em sua edição de 10 de fevereiro.

Nada disso, contudo, parece preocupar os vereadores Pedro Komura (PSDB), Jean Lopes (PCdoB) e Marcos Furlan (DEM), aos quais a prioridade é defender a destituição da atual diretora regional de Ensino de Mogi. E o que os vereadores têm a ver com a Secretaria de Educação do Estado?

Teriam muito, se estivessem preocupados com aquilo que ocorre nas escolas estaduais localizadas em Mogi. Seria naturalíssimo que cobrassem maior empenho na preservação dos prédios e no fornecimento de material escolar. Mas não, o que eles fizeram, recentemente, foi apresentar pedido à Secretaria de Educação, para que realoque Rosânia Morales Morroni na função, removendo a atual dirigente, Araci Nunes Camargo.

O resultado disso foi que os três assistiram, na sessão de quarta-feira da Câmara, a manifestação de professores da rede estadual, em defesa da atual dirigente. “Estamos indignados com a ação dos vereadores”, afirmou a diretora de escola, Maria Isabel dos Santos Mello.

Se estivessem comprometidos com o bom exercício de seu mandato, teriam se livrado da refrega que lhes impôs o grupo de mais de 30 professores, que ocupou a galeria da Câmara na quarta-feira. Estes não aceitam a sugestão dos vereadores, para o retorno de Rosânia ao cargo.

A valer ações desse tipo, não nos surpreenderá que, em futuro próximo, os vereadores pretendam remover o bispo, o pastor, o pai-de-santo. Só não se atreverão a sugerir a remoção de juízes e promotores; por razões que todos nós podemos avaliar.