Leitura é lei!

Shakespeare e/ou as Leis Municipais, os jornais locais, a Constituição Federal de 1988, a Bíblia, eis a questão. Todos, alguns ou apenas um?! Só sei que são tão inspiradores quanto convidativos a continuar lendo, mergulhando num mundo de possibilidades, encantos e, às vezes, inconformismos – quando comparados à realidade nossa de cada dia. Mas, uma coisa é indiscutível, a necessidade da leitura se faz cada dia mais importante em nossas vidas, tal qual alimento para o corpo ou bálsamo de Deus para a alma, a leitura para a mente, sempre!Quando criança transportava-me, literalmente, no mundo da leitura de Monteiro Lobato, feito mágica do pó do pirlimpimpim da boneca de pano Emília. E, confesso que tais referências, ainda hoje são tão presentes que, às vezes, na rudeza de algumas situações, para poder resistir e suportar, somente tendo um pouco da magia de Monteiro Lobato, ou ainda, lembrando das cenas; que tão bem descrevem o cotidiano humano e suas misérias; de Vitor Hugo em “Os Miseráveis”, ou ainda a justificativa de amor ou desamor de Érico Veríssimo em “Olhai os Lírios do Campo”… Eles não fiam nem tecem, porém, nem Salomão conseguiu trajar-se como um deles, enfim… Hoje temos uma gama tão impressionante de possibilidades de leituras, mas os clássicos sempre hão de permear nossas memórias, nosso mundo de referenciais, que nos ajudam a viver o presente e o “por vir” como diria Heidegger.
O maior Bestseller, a Bíblia, nos traz alento, forças e motivação para seguir nossa trajetória acreditando que podemos ser melhores a cada dia, seres produtivos e especiais para Deus.
Em quaisquer profissões, somos, enquanto seres humanos, chamados a tecer uma relação do real com o imaginário, sempre e, então, por que não tê-lo com belos textos, poemas e estórias?! Ter esperança é ter fé, acreditar em mudanças, em um mundo melhor, por que não? Afinal, somos ou não merecedores de dias melhores, de melhor qualidade de vida?!
Creio que fazer essa “leitura” da vida torna mais ameno o trabalho em quaisquer esferas, de iniciativa pública ou privada. Pois com respeito, civilidade e urbanidade tudo podemos Naquele que nos fortalece !!!

 Jeruza Lisboa Pacheco Reis é advogada e professora


Deixe seu comentário