JUNDIAPEBA

Licitação definirá empresa para obra de coletor-tronco na bacia do rio Jundiaí

Com a abertura dos envelopes de proposta marcada para o próximo dia 8, está em andamento o processo de licitação para contratação de uma empresa de engenharia especializada que ficará responsável pela elaboração do estudo de concepção e projeto básico para instalação dos coletores-tronco na bacia do rio Jundiaí, no distrito de Jundiapeba. Inicialmente, o investimento previsto é de R$ 2,3 milhões, sendo que a maior parte dos recursos (R$ 2,1 milhões) é do Governo Federal.

Depois dessa abertura dos envelopes, as propostas serão analisadas. Na sequência, será publicado o julgamento e abre-se prazo para recurso. Não havendo contestação, publica-se a homologação e agenda-se uma data para assinatura do contrato. O prazo de elaboração do estudo e projeto será de 12 meses após a conclusão do processo licitatório, assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço.

O projeto deverá prever a implantação dos coletores-tronco Jundiaí, Oropó e Santo Ângelo, que somarão 16,7 quilômetros, passando pelos distritos de Jundiapeba e Braz Cubas, atendendo aos bairros Vila Jundiaí, Jardim Planalto, Residencial Cambuci, Residencial Mirage, Jardim Aeroporto, Jardim Layr, Jardim Santos Dumont, Conjunto Santo Ângelo, Porteira Preta, Conjunto Oropó, Vila Moraes e Conjunto São Sebastião.

O equipamento nada mais é do que uma tubulação que faz parte do sistema de coleta de resíduos e recebe contribuições de redes coletoras de esgoto e de outros coletores-tronco e os conduz a um interceptor que por sua vez leva os esgotos até uma estação de tratamento.

Por isso, a instalação dos coletores complementará importantes investimentos já realizados e em andamento no distrito, tanto de abastecimento de água quanto de esgotamento sanitário: com construção de reservatório de água; extensões de redes de água e esgoto; construção, reforma e modernização de estações elevatórias. A população beneficiada na área de abrangência é de 13 mil pessoas, mas a capacidade futura (considerando o crescimento populacional da região) é para 25 mil moradores.

Só com as obras de esgotamento sanitário em Jundiapeba e Vila Nova Jundiapeba, por exemplo, que estão em fase inicial, a Prefeitura instalará 15 quilômetros de redes, 1.760 metros de coletor-tronco e 1.240 metros de linha de recalque (bombeamento). O investimento será de R$ 9,5 milhões, com recursos do Governo Federal.

O projeto representará aumento de 6,9% no volume de esgoto tratado na cidade, passando dos atuais 61% para 67,9%. Especificamente em Jundiapeba e Nova Jundiapeba, o índice será superior a 90%, tanto coleta quanto tratamento. A previsão é concluir os trabalhos em 2021.

Futuramente, com os coletores-tronco Jundiaí, Oropó e Santo Ângelo, será possível desativar das estações elevatórias de esgoto bruto Indonésia, Andiroba, Oceania, Tanzânia e Sapucaia, diminuindo o custo de operação do sistema de esgotamento sanitário do município.

Terminada a etapa de elaboração do projeto, a Prefeitura e o Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) buscarão recursos externos para a realização das obras.


Deixe seu comentário