BALANÇO

Luminárias da região central de Mogi das Cruzes serão trocadas

CUSTO Prefeitura gastou R$ 20 milhões com a conta de iluminação pública e R$ 7,5 milhões em melhorias. (Foto: arquivo)
CUSTO Prefeitura gastou R$ 20 milhões com a conta de iluminação pública e R$ 7,5 milhões em melhorias. (Foto: arquivo)

A Prefeitura de Mogi das Cruzes informa que em um prazo de três a quatro meses pretende iniciar a troca das luminárias da área central da cidade. O objetivo é instalar um programa mais moderno e eficiente, que passará a utilizar o sistema Led. As lâmpadas antigas serão usadas para clarear as estradas vicinais. Em 2019, a Prefeitura investiu R$ 7,5 milhões em melhorias e gastou cerca de R$ 20 milhões com a conta de energia elétrica.

Desse total de R$ 20 milhões, R$ 14 milhões foram usados para pagar a iluminação pública de toda a cidade. Outros R$ 6 milhões cobrem o consumo dos prédios públicos.

Os valores arrecadados com a Contribuição de Iluminação Pública (CIP) no ano passado foram de aproximadamente R$ 15 milhões. Esses recursos foram usados para pagar a conta de R$ 14 milhões da cidade e o restante revertido para obras de melhorias. Não existe nenhuma previsão de aumento da taxa do CIP em 2020.

O trabalho de planejamento, execução dos projetos de iluminação e ampliação, que vem sendo implementado nas principais vias de entrada e saída da cidade com a troca das lâmpadas comum pelo sistema Led, é realizado pela empresa Trajeto Engenharia e Comércio Ltda.

Para realizar os serviços, a Prefeitura repassou, em 2019, R$ 7.5 milhões à concessionária, sendo R$ 4,9 milhões gastos com manutenção e R$ 2.600 com ampliação da rede de iluminação. Isso representa um gasto mensal médio de 625 mil.

O secretário municipal de Obras, Thiago Takeuchi de Oliveira, explica que a empresa cuida da manutenção, faz as reposições das lâmpadas, e também promove essa trocas para garantir mais eficiência e economia no consumo de energia elétrica.

O processo de substituição não é tão simples. Não se trata apenas de mudar o tipo de lâmpada. Oliveira explica que para fazer isso é preciso trocar o braço e todo o sistema da luminária. Os novos equipamentos contam com recursos inteligentes para reduzir o consumo e são programados de acordo com os horários. “A tecnologia permite regular a intensidade. A noite fica ligada na potência máxima, mas perto das 3 e 4 horas da madrugada, pode diminuir essa potência para reduzir gastos”

Com a instalação do sistema de iluminação no centro, que deve acontecer ainda no primeiro semestre deste ano, a meta do secretário é dar continuidade ao programa e atender o distrito de Jundiapeba.

Mogi das Cruzes possui cerca de 700 quilômetros de vias que interligam bairros e distritos vizinhos. O secretário disse que até agora cerca de 30 delas estão iluminadas. Ele quer chegar a metade da cobertura até o final deste ano. Esse atendimento é feito em conjunto com a EDP, que tem a incumbência de preparar as redes de energia para fazer o posteamento. Mas o serviço é custeado pelo município.

O novo sistema de led foi adotado nas principais vias de entrada em saída da cidade, em locais como as avenidas Francisco Ferreira Lopes, Francisco Ribeiro Nogueira, Lourenço de Souza Franco, Kaoru Hiramatsu. Pedro Eroles, Cabo Diogo Oliver, Engenheiro Miguel Gemma, Júlio Perotti, entre outra.

As lâmpadas antigas em bom estado de conservação foram usadas nas estradas vicinais de regiões como Biritiba Ussu, Taboão, Barroso, Jundiapeba, região da Chácara Guanabara, Chácara dos Baianos e Itapeti.

O secretário afirma que “a questão da iluminação é sinônimo de segurança, motivo de atenção especial no Município”, que mantém o monitoramento para evitar pontos de escuridão. As lâmpadas LED melhoram a visualização das placas, a sinalização da via, e ajudam o trabalho de monitoramento com câmeras.


Deixe seu comentário