CIRCUITO

Maike quer inspirar empreendedores

Publicitário investe em palestra baseada no movimento “Jeito Startup de Fazer as Coisas”, além de comandar o AppTicket, plataforma de venda de ingressos online, que criou 2012, com projeção nacional. Recentemente, esteve em Portugal como representante brasileiro num evento de startups. (Foto: Eisner Soares)
Publicitário investe em palestra baseada no movimento “Jeito Startup de Fazer as Coisas”, além de comandar o AppTicket, plataforma de venda de ingressos online, que criou 2012, com projeção nacional. Recentemente, esteve em Portugal como representante brasileiro num evento de startups. (Foto: Eisner Soares)

Inquieto e sempre pensando na solução para um problema. Assim é Maike Robert desde que se ‘entende por gente’. A criatividade de menino deu espaço ao espírito empreendedor, e hoje, depois de ter se formado publicitário, e atuado em grandes empresas como o Uol, ele é sócio-fundador de uma startup de sucesso, e também dá palestras sobre empreendedorismo, inclusive em palcos internacionais.

Durante a infância, Maike Robert apresentava comportamento diferente das demais crianças, como quando, aos 8 anos, criou uma campainha para que sua mãe, Valderez Garrido, pudesse acordar ele e o irmão, Martines Junior, sem sair do próprio quarto.

Maike também se lembra de outras invenções a partir de questionamento de todas as coisas ao seu redor. Em 1995, aos 11 anos, sua inquietude foi canalizada para o primeiro computador da família. Ele passava horas clicando em cada um dos botões para ver o que eles faziam.

No mesmo ano, fez um curso de informática e, depois, aos 12, começou a montar currículos e a vender impressões em papel sulfite. Nessa época, também fazia artes gráficas, e se tornou ajudante numa floricultura, que conheceu, aliás, depois de ter confeccionado a arte para um flyer da loja.

Aí começava a nascer o lado empreendedor do então adolescente, que também passou a consertar computadores para reunir o próprio dinheiro. Aos 14 anos, foi contratado como office boy numa empresa de internet da Cidade, sendo promovido logo em seguida para o setor de desenvolvimento web, onde atuou por cinco anos.

Maike se desligou do emprego para se envolver em outra área, a de gestão de projetos na Caixa Econômica Federal e na Natura, e ao fazer isso ingressou no Curso de Publicidade e Propaganda na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Algum tempo depois, em 2006, entrou para a equipe de uma grande agência de publicidade, desenvolvendo sites e cuidando da conta de grandes empresas, como L’Oréal, Bradesco, Coca-Cola, Sky e Fiat.

Dois anos depois, realizou um sonho de infância ao entrar para a equipe do Uol, tendo participado do desenvolvimento do PagSeguro, que mais tarde viria a se tornar um dos primeiros “unicórnios” do Brasil, ou seja, uma empresa que vale mais de um bilhão de dólares.

Por fim, após outra temporada em agências de publicidade, em 2012, já formado, Maike decidiu empreender por conta própria. Para tanto, cofundou uma empresa de banners digitais e outra gestão de redes sociais, a Loymaker, que toca ainda hoje. Além disso, começou a dar aulas de webstandards e social media na Fundação Instituto de Administração (Fia) e no Senai da Lapa, em São Paulo.

Em certo momento, um dos clientes da Loymaker queria promover um show musical, e Maike, pensando em alavancar as vendas do evento, começou a buscar plataformas que vendessem ingressos online.

Depois de muito procurar, ele e sua equipe decidiram que seria mais interessante criar o próprio sistema de venda de bilhetes, e assim nasceu a AppTicket, ainda dentro do Facebook. Com o tempo, a startup cresceu, recebeu o aporte de investidores e se tornou uma das principais plataformas de social ticketing do Brasil.

O sucesso fez com que Maike investisse em outros projetos, como o Alto Tietê Valley, uma comunidade de startups na Região, e também o movimento “Jeito Startup de Fazer as Coisas”, que consiste em palestras sobre o pensamento empreendedor.

Como palestrante, o publicitário se descobriu empolgado em fazer com que as pessoas aprendam a criar experiências inovadoras. Esse contato com o público tornou-se um de seus objetivos principais, tanto é que, além de participar de discussões em faculdades de todo o Estado, ele esteve, no último mês de agosto, representando o Brasil num bate-papo sobre startups em Portugal.

Assim, aos 33 anos, Maike ainda mantém uma característica de quando era menino: a inquietude, já que, além de gerenciar todos estes projetos, ele pensa em expandir a agenda de palestras, fazendo com que mais pessoas se inspirem a, como ele, criar soluções para problemas com um sorriso no rosto.

Curto-Circuito
Viver em Mogi é… estar perto de tudo, mas com um ar de interior

O melhor da Cidade é… a localização

E o pior? O trânsito

Sinto saudade de… quando eu tinha mais tempo

Encontro paz de espírito… tocando bateria

Pra ver e ser visto… Instagram

Meu prato preferido é… ravioli de mussarela de búfala

Livro de cabeceira… ‘Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas’, de Dale Carnegie

Peça campeã de uso do meu guarda-roupa? Camiseta básica, calça jeans e tênis claro

O que não tem preço? O sorriso da minha filha

Uma boa pedida é… um bom vinho com um bom papo

É proibido… não se divertir

A melhor festa é… aquela com pessoas especiais

Convite irrecusável… viagem com tudo pago

O que tem 1001 utilidades? Meu notebook

Meu sonho de consumo é… viajar o mundo

Qual foi o melhor espetáculo da minha vida? O nascimento da minha filha

Cartão-postal da Cidade… a vista quando chegamos em Mogi pela Mogi Dutra

O que falta na Cidade? Iniciativas inovadoras

Qual é a química da vida? Trabalho, Diversão e Realizações

Deus me livre de… não aproveitar cada momento