BALANÇO

Mais da metade dos infectados com o novo coronavírus na região está recuperada

Na última quinta-feira, o Hospital de Campanha de Suzano registrou a primeira alta de um paciente com a Covid-19 que estava na unidade; região soma 814 recuperados. (Foto: Prefeitura de Suzano)

Mais da metade dos pacientes diagnosticados com a Covid-19 nas 10 cidades do Alto Tietê já foi classificada como recuperada pelas prefeituras. O índice, que representava 39% dos casos totais da infecção na terça-feira da semana passada, registrou alta nos últimos dias e alcançou ontem (13) a marca inédita de 51%. Até a noite desta quarta-feira, 1.575 moradores da região haviam testado positivo para o novo coronavírus – 53 a mais na comparação com o dia anterior. Destes, 165 evoluíram a óbito, enquanto 814 já foram considerados livres da doença.

Apesar do alento, a evolução da pandemia na região permanece classificada como instável. Enquanto o índice de isolamento social apresenta queda nas cidades, a curva de crescimento de casos da doença segue ascensão, inclusive batendo recordes. Apenas nesta quarta-feira, mais 6 óbitos atrelados à Covid-19 foram confirmados no Alto Tietê, sendo três em Suzano, um em Mogi das Cruzes, um em Itaquaquecetuba e um em Salesópolis.

Mogi segue como o epicentro da doença no Alto Tietê, na liderança dos números. O município confirmou até a noite de ontem, 415 casos da infecção, dos quais 39 são de pacientes que evoluíram a óbito. Na sequência estão Itaquaquecetuba, com 302 ocorrências positivas e 37 mortes, e Suzano, com 316 moradores diagnosticados com a doença, sendo 32 vítimas fatais (veja quadro).

Estado

O número de mortes pelo novo coronavírus registrado no Estado de São Paulo chegou a 4.118 nesta quarta-feira, dobrando em apenas duas semanas – eram 2.049 no dia 28 de abril. A cada 10 vítimas fatais da Covid-19, pelo menos sete tinham 60 anos ou mais. Por outro lado, este grupo representa apenas 21% do total de casos confirmados, que predominam entre os não idosos. Das 51.097 pessoas infectadas em São Paulo, 78% eram crianças, jovens ou adultos com até 59 anos. Até o momento, 434 municípios tiveram pelo menos um caso confirmado – incluindo todos os 10 do Alto Tietê – e houve no mínimo uma morte em 192 cidades, entre as 645 que integram o Estado.

As internações também têm crescido. Até ontem eram 9,6 mil pacientes em hospitais no Estado de São Paulo, sendo 3.702 em UTIs e 5.950 em enfermarias. Quinze dias atrás, este número representava cerca de 8 mil.

Perfil da mortalidade

Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 73,1% das mortes,

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,4%), diabetes mellitus (44%), doença n e u r o l ó g i c a (11,5%), doença renal (11,1%) e p n e u m o p a t i a (9,9%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática.


Deixe seu comentário