EDITORIAL

Mais verde e qualificada

Em cinco anos, a se confirmar o compromisso da Prefeitura de Mogi das Cruzes de executar os projetos do +Mogi EcoTietê, a cidade ganhará dois novos parques e a ampliação do Centenário, na margem esquerda do Rio Tietê. É um passo interessante na qualificação ambiental e na oferta de opções de lazer, entretenimento e contemplação ao cidadão.

A expansão das rede de parques é um acerto nas políticas de uso e ocupação do espaço urbano. Em meio ao concreto e ao asfalto, áreas verdes são um eficaz remédio para melhorar especificamente a qualidade de vida dos frequentadores, e também da população que mesmo sem visitar o interior desses oásis se beneficia com o equilíbrio climático, a boa condição do ar e o conforto térmico.

Algumas pesquisas dizem que cada um dólar investido no plantio e preservação de árvores gera uma economia de dois dólares em saúde pública. Um dia no parque desacelera as pessoas, desestressa, produz bem-estar.

As novas áreas verdes já estão sendo alvo de ações para as desapropriações e os licenciamentos ambientais. Isso quer dizer que esses projetos poderão ser concretizados antes de outras obras desse pacote de intervenções que prevê novidades como a Via Parque, e a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de César de Souza. A se conferir, claro.

Essa região, aliás, ganhará no futuro o Parque Linear do Ribeirão Botujuru, que será público e integra o empreendimento imobiliário Reserva da Serra do Itapety.

Juntos, além de atender ao público e à qualificação ambiental de Mogi, os atuais e futuros parques responderão particularmente pela preservação da fauna e flora da várzea do rio Tietê e dos corredores verdes necessários para garantir o trânsito de espécies animais ameaçados de extinção e que precisam de remascentes de vegetação para circular entre as serras do Itapety e do Mar.


Deixe seu comentário