Mandato de vereador mogiano é alvo de estudo na USP

O modelo de gestão legislativa adotado pelo vereador mogiano Caio Cunha (PV) está sendo estudado em uma tese de pós-doutorado na Universidade de São Paulo (USP). A pesquisa que está sendo feita pela professora doutora Andrea Marinho está acompanhando as ações do Grupo 300, integrado por representantes da sociedade civil para colaborar nas decisões do vereador durante todo o seu mandato. O estudo de Andrea tem por objetivo construir uma Teoria da Inteligência Cidadã e, a partir da análise da gestão de Caio Cunha, compreender o exercício da cidadania que acontece além do voto. A pesquisadora acompanha como se articulam os projetos pessoais do vereador e também os coletivos, aqueles onde as pessoas participam ativamente da construção de políticas públicas junto aos representantes eleitos. Segundo a pesquisadora informou à assessoria de Caio, sua gestão junto à Câmara de Mogi agrupa conceitos de importantes teóricos, como Paulo Freire, reconhecido educador brasileiro, e Pierre Lévy, filósofo francês que estuda a cultura virtual contemporânea. Andrea Marinho diz que o que mais chamou atenção no mandato de Caio foi a gestão participativa aliada ao trabalho coletivo e uso das tecnologias como formação, além do valor de sustentabilidade, o que é inovador. Tudo isso a levou a escolher o trabalho como objeto de seu estudo. O Grupo 300 é uma rede de pessoas que  participam de forma mais próxima do mandato do vereador. Uma espécie de conselho ligado à sociedade civil, que contribui com ideias e sugestões de projetos, auxiliando também nas decisões. Para compor o grupo auxiliar, o vereador optou por pessoas de sua total confiança, “com valores e princípios do bem, que se movem com coragem e uma dose de utopia”. Para Caio, a diversidade de pessoas no Grupo 300 é um pilar que torna as ações do trabalho mais justas e democráticas. “São mogianos de diversas classes sociais, faixas etárias e credos, com quem estamos construindo um projeto de transformação política e social da nossa Cidade, por meio de um mandato participativo e sustentável”, garante o vereador.
COTIDIANO

3

 

FRASE

Vamos continuar pressionando as autoridades a investigar e responsabilizar os autores das chacinas, que precisam ter um fim.

Mônica Marques dos Santos, do Fórum Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, sobre as chacinas