PANDEMIA

Manual reforça práticas sanitárias para prevenção da Covid-19

O professor de Educação Física Danilo Luque elaborou o manual. “Essa é uma forma de fazer a minha parte”, afirma ele

O funcionário público Danilo Luque, professor de Educação Física da Prefeitura de Mogi, elaborou um manual com orientações sobre a Covid-19 para reforçar a segurança e flexibilizar o comércio e serviços na cidade, sem colocar em risco a saúde dos consumidores e dos trabalhadores. Além de disponibilizar na internet, ele também vai encaminhar o material à Secretaria Municipal de Saúde e entidades representativas.

“Essa é uma forma de fazer a minha parte. Se puder ajudar um segmento que seja, significa que consegui dar a minha contribuição”, destaca. Ele conta que levou algumas semanas fazendo pesquisas e reuniões virtuais com diversos segmentos para entender as necessidades de cada setor para elaborar o manual, já avaliado e chancelado por médios e profissionais de saúde.

O professor explica que fez uma pesquisa com motoristas de aplicativo, taxistas, motoristas de ônibus, garçons, cabeleireiros, comerciantes, trabalhadores de lojas, entre outros segmentos, para ouvir as sugestões deles sobre a melhor forma de flexibilizar, sem descumprir as determinações dos órgãos de saúde.

Além do uso de máscaras e luva, uma medida sugerida por taxistas, motoristas de ônibus e por aplicativo para reduzir os riscos de contágio refere-se à instalação de uma placa de acrílico ou outro material parecido para que possam se manter isolados dos passageiros.

“Os motoristas de ônibus poderiam usar uma espécie de pegador para que eles possam evitar o contato na hora de receber o dinheiro da passagem. Isso reduziria os riscos para esses profissionais que transportam muita gente no dia-a-dia”, explica. Além dessa mesma barreira protetiva que poderia ser usada nos demais transportes, ele sugere ainda que as máquinas de cartões sejam protegidas e envolta com plásticos para evitar contato e facilitar a higienização.

Luque disse que os cabelereiros sugeriram que o atendimento seja agendado para atender apenas uma pessoa por vez. Quando não for possível conciliar todos os horários, o máximo do tempo de espera dentro desses locais deve ser de 20 minutos, mantendo o distanciamento.

No caso dos restaurantes, somado ao uso de máscaras, luvas, a orientação é para que os garçons mantenham a distância, fique de lado e evite conversar de frente com as pessoas. Sugere ainda que os estabelecimentos plastifiquem os menus, higienize talheres e pratos.

Para os consumidores, um conselho é que passem a valorizar o comércio da sua região, porque além de ajudar os pequenos empreendedores do bairro, podem se manter longe de locais onde há muita movimentação de pessoas, como nos supermercados.

“O objetivo é ajudar nesse momento de pandemia para permitir que as pessoas voltem a trabalhar. São apenas recomendações nesse manual que foi elaborado para ajudar e servir como um norte, como uma forma de contribuir para ajudar a enfrentar essa pandemia”, reforça. O material está disponível pelo instagram.com/danilo_luque, https://www.facebook.com/danilo.luque.16121 , e https://daniloluque.com.br/covid19


Deixe seu comentário