ARTIGO

Mar de Santinhos

Diego Cápua

Já que está se falando em panfletos e com toda a razão esse assunto foi trazido a discussão pelo nosso amigo Laerte Silva, temos uma questão relevante sobre esse tema: Como ficará a cidade no dia das eleições de outubro, data na qual historicamente vemos a cidade ser inundada por um tsunami de panfletos que são lançados pelos candidatos que desesperadamente tentam uma vaga junto a Administração Municipal?

Mesmo com essa onda necessária de preservação ambiental e de leis visando proteger o meio onde vivemos, não deixamos de ver nas últimas votações o solo de nossa cidade imundo com referidos papéis. Se precisamos (e muito) coibir o ato referente aos comerciantes que se utilizam dessa prática, é necessário que em outubro haja uma efetiva fiscalização, visando, primeiramente, impedir a sujeira das ruas e, também, punir aqueles que estiverem estampando eventuais “santinhos” jogados nas ruas da cidade.

Claro que duvido dessa punição, posto que é quase indubitável que atuais mandatários se utilizem desse artifício para tentar angariar um voto de última hora, mas não custa ter esperança ou mesmo torcer para que algum candidato ou grupo político encabeçasse um movimento de eleições com ruas mais limpas. Será que alguém irá abraçar essa campanha e oportunidade de já se destacar na mídia? #ficaadica

Diego Cápua é advogado


Deixe seu comentário