BASQUETE

Mogi busca a sétima vitória seguida

Time fecha série fora de casa contra cearense, após bater Brasília e assumir o terceiro lugar na classificação do NBB. (Foto: Felipe Mendez)
Time fecha série fora de casa contra cearense, após bater Brasília e assumir o terceiro lugar na classificação do NBB. (Foto: Felipe Mendez)

O Mogi/Helbor encerra hoje, e pode ser com 100% de aproveitamento, a série de três partidas consecutivas fora de casa na retomada da 11ª edição do Novo Basquete Brasil (NBB11). O último desafio, onde tentará a sétima vitória consecutiva, será diante do Basquete Cearense, às 20h45, no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza. A expectativa é de que o elenco do técnico Guerrinha não repita o desempenho irregular do último duelo. Depois de passar pelo Joinville, o time do Alto Tietê encarou anteontem o ‘lanterna’ Brasília e, numa partida muito equilibrada e como numa gangorra, venceu por 80 a 76 (43 a 40 no primeiro tempo) o duelo no ginásio da Asceb.

O resultado na partida no Distrito Federal já levaria o Mogi de volta para o quarto lugar na competição nacional. Mas a rodada acabou sendo melhor e o time mogiano passou para a terceira colocação do NBB, ocupando o lugar do Flamengo, que voltou a perder do Pinheiros, o vice-líder da disputa.

Com o resultado em Brasília, o Mogi chegou a 12 vitórias em 16 partidas, com a mesma campanha do Paulistano, quarto colocado. A equipe também segue na cola dos líderes Franca e Pinheiros, que também têm 12 triunfos na conta, mas com um e dois jogos a menos, respectivamente. O Flamengo foi para a quinta posição, com 11 vitórias, mas em 15 jogos.

A campanha do Mogi é bem superior a do Cearense, que possui a 12ª colocação, com apenas cinco vitórias e 11 derrotas. O time de Fortaleza encara o Mogi numa sequência de três derrotas consecutivas – a equipe perdeu do Paulistano em casa, de Franca e Bauro, no interior de São Paulo.

Agora os cearense vão enfrentar o Mogi, e em seu ginásio, em busca da reabilitação. O Mogi, por sua vez, joga em fortaleza em busca da sétima vitória consecutiva – superou o Joinville (duas vezes), além de Corinthians, Vasco, São José e Brasília.

No jogo frente ao Brasília, a liderança no placar foi trocada em 13 oportunidades, além de o duelo ficar empatado em outras seis. Uma partida do efeito gangorra, com os mogianos vencendo o primeiro quarto, por 18 a 28, mas perdendo o segundo, por 22 a 15.

No segundo tempo, Brasília foi melhor no terceiro período, com 23 a 12, enquanto o Mogi deu o troco no último quarto, vencendo, por 25 a 13. “Precisamos resolver essa irregularidade, não só o nosso time, mas a maioria. Tem de conseguir diminuir isso. Abre 10 pontos no primeiro quarto e não pode fazer outros quartos com 15 e tomar 22, 23 pontos, por erros por falta de foco e de concentração”, destacou o técnico Guerrinha.